Café do Brasil

Café

O famoso cafezinho, tão presente no dia-a-dia de 94% dos brasileiros, ganha cada vez mais espaço e, principalmente, status de bebida nobre. Segundo dados da ABIC, o consumo interno de café em 2006 voltou a crescer de forma acentuada. No período compreendido entre novembro de 2005 e outubro de 2006, o volume chegou a 16 milhões de sacas. O consumo por habitante/ano (per capita) atingiu 4,27 Kg de café torrado. Porém, para a maioria da população, o consumo ainda é limitado ao café comum, geralmente de baixa qualidade, coado ou filtrado (93%). Mas, os cafés gourmet ou especiais começam a despertar a atenção e curiosidade junto aos consumidores. Esses cafés de maior qualidade representam uma ínfima parcela de 1,3% do mercado, e foram fundamentais para atrair novos consumidores, principalmente, entre os jovens.

O consumo de café no Brasil está muito mais relacionado ao hábito e tradição, do que ao prazer proporcionado pelo aroma e sabor. O que não chega a ser uma novidade. Confesso que fico assustado com a quantidade de cafeterias com belas fachadas e ambientes refinados servindo cafés de péssima qualidade. Ocorre, e isso é mais comum do que imaginamos, uma utilização significativa de grãos velhos e torrados como carvão, espressos tirados ao ponto de queimar a língua, e que mais parecem água suja de radiador. Sem falar no “aroma” que só lembra ranço e quase sempre é acompanhado por um desagradável amargor. É difícil tomar uma bebida assim, mas alguns artifícios ajudam nessa heróica missão, como por exemplo, mistuar com chantilly, nata, leite e aromas artificiais em geral.

Outro detalhe interessante, assim como o vinho, os consumidores estão aprendendo a diferenciar o café gourmet daquele de baixa qualidade. Claro, não podemos esquecer que o preço desses cafés especiais chega a ser 4 ou 5 vezes superior aos comuns encontrados nas prateleiras dos supermercados. O QVinho não poderia deixar de trazer para seus leitores as melhores novidades desta tão aprazível e nobre bebida. Acompanhe nos próximos posts uma degustação com uma seleção exclusiva de cafés brasileiros para espresso. Também faremos uma prova com alguns dos mais renomados grãos internacionais, provenientes de regiões como: Etiópia Yergacheffe, Indonésia Sulawesi, Costa Rica Terrazú, Kenya Gaaki, Guatemala Huehuetenango e Papuásia Nova Guiné Kimel State.

  • Eloise

    Confesso que já fui amante dos famosos cafés com chantilly, mas hoje, depois de conhecer e ter degustado bons cafés, posso dizer que faço parte da elite de consumidores que apreciam cafés especiais e de qualidade. As informações do Qvinho vão ajudar e muito os consumidores dessa tradicional bebida a conhecer o verdadeiro prazer de tomar um café. Parabéns!