O blend e a torrefação do café

O 3º episódio da série Ford Edge Espresso Experience é sobre blends e torrefação. Nesse vídeo os leitores conhecerão o trabalho de confecção dos blends, ou seja, as misturas que serão realizadas com grãos de diferentes características de modo a obter uma bebida mais equilibrada. Embora não haja regras para misturar cafés, a ideia é combinar os que se complementam e não os que são semelhantes. Outro processo que definirá a qualidade da bebida é o trabalho dos mestres torrefadores que poderão ressaltar ou ocultar determinados aromas e sabores. Uma torrefação mais leve, indicada por exemplo para arábicas de altitude, valorizará a sua acidez e o aroma frutado; para esses cafés uma torrefação mais forte destruiria os óleos e ácidos responsáveis por dar todo o diferencial. Já imaginou um Etiópia Yirgacheffe com torra forte? Um crime! Por outro lado uma torra escura é desejável para esconder sabores não muito atraentes em robustas, ou em outros cafés onde se queira ressaltar o corpo.

É importante frisar que, por melhor que o café seja cultivado, processado, misturado, torrado, moído e preparado, a qualidade final estará sempre condicionada a um item: frescor. Se os grãos crus podem suportar bem 12 meses ou mais, depois da torra, a durabilidade cai para 15 dias, caso você pretenda tirar um bom espresso, ou 180 dias para cafés de coador e french press. Isso explica porque muitos consumidores que adquiriram máquinas de espresso para suas casas estão tão insatisfeitos com os resultados na xícara. Boa parte deles relatou utilizar grãos com datas de torrefação superior a dois meses, ou ainda pior, usavam café já moído. Atenção, se você realmente deseja beber um espresso de qualidade atente para detalhes como: a marca e a qualidade do café, a data de torrefação, e é claro, sempre procure moer os grãos no momento do preparo. leia o post Máquinas de café espresso: 20 Dicas para não se decepcionar para saber mais detalhes sobre a escolha dos melhores equipamentos e os segredos de um bom espresso em casa.

  • http://www.conhecaopantanal.com.br Edelson

    Olá Jomar e Jackson!
    Esses posts sobre café ficaram show!
    Lendo este em particular, me lembrei de um café que tomei lá em Ubatuba, na praia de Itaguá, perto do centro.
    O café chama-se Atmosfera, o lugar é show de bola! Talvez vocês até conheçam…
    Além do lugar ser show de bola, o café (bebida) também é espetacular!
    Conversando com o pessoal da casa, descobri que se trata de um café orgânico, plantado em Pardinho, interior de SP, e torrado no Santo Grão em São Paulo. Coincidência né!?
    O grão é plantando por eles mesmo, e somente levam ao Santo Grão para torrar.
    Fica a dica: quem tiver a oportunidade de ir no Atmosfera Café vale a pena, tomar um café maravilhoso com a vista pra o mar!
    Abraços!

  • http://www.euteccafe.wordpress.com Claudio Amaral

    Olá Pessoal!!!!!!!!!

    Resumindo vamos valorizar o Café assim como valorizamos o vinho.

    Café é barbaro.

    Sucesso.

  • Pingback: Ford Edge Espresso Experience #4: espresso, cappuccino e latte art

  • Vanessa

    Pena que internet ainda não tem cheiro, porque pude até imaginar aqui como deve ser bom o cheirinho da torra do café!

  • Vitor L. Mauricio

    Muito boa essa série mesmo sobre cafés, acho que ainda é difícil para as pessoas que gostam de cafés de qualidade aqui no Brasil encontrar material sobre o assunto, mesmo em livros.

    Parabéns!

  • Sérgio

    Essa série sobre café ficou show. Abraço