História, grãos e regiões produtoras de café

Você sabia que uma xícara de café espresso possui menos cafeína que uma xícara do tradicional café de coador? Que o café ajuda a combater os radicais livres? Ou ainda, que bons cafés utilizam somente grãos da espécie arábica ao contrário dos cafés comerciais, geralmente usados no dia-a-dia, que utilizam grãos robusta? Pois bem, com o objetivo de desmistificar alguns pontos que cercam o café e apresentar a arte de preparar um bom espresso, surgiu a ideia de publicar uma série de posts, trazendo informações direto da fonte com profissionais respeitados do setor. Assim nasceu o Ford Edge Espresso Experience, um projeto pensado para os amantes do café, e em especial, do espresso, um jeito único e especial de preparar café.

Visitamos duas renomadas cafeterias do país e conversamos com profissionais premiados em busca de técnicas e dicas que pudessem auxiliar os consumidores para escolher e apreciar um café especial. No Santo Grão Café, em São Paulo, contamos com a ajuda do barista Marcelo Babinski, e na Lucca Cafés Especiais, em Curitiba, a proprietária e especialista em cafés Georgia Franco de Souza foi a nossa anfitriã.

Nesse primeiro vídeo vamos tratar um pouco sobre a história do café, processamento dos grãos (a seco, despolpado ou por lavagem), regiões do Brasil mais propícias ao cultivo de cafés, bem como o processo de desenvolvimento de blends.

Nossa filosofia aqui no QVinho sempre foi trazer um conteúdo revelante que pudesse orientar os consumidores a conhecer mais sobre determinados assuntos e produtos. Com os artigos Máquina de café espresso: Aprenda a escolher uma para sua casa ou escritório e Máquinas de café espresso: 20 Dicas para não se decepcionar isso ficou muito claro. Primeiro, constatamos que os consumidores estão carentes de informação técnica de qualidade, e não apenas com superficialidades como as mídias de massa insistem em abordar; segundo, a participação ativa dos leitores com emails e comentários no blog mostrou que é possível interferir de uma forma positiva nas decisões de compra. Sim, quantas mudanças de planos não foram realizadas depois de um esclarecimento ou dica que foi transmitida.

Diferentemente dos posts anteriores que comentamos e indicamos os melhores tipos de máquinas para fazer espresso em casa, agora nessa série de artigos, queremos auxiliar os leitores a conhecer mais sobre cafés. Tenho certeza que ao final desses artigos o leitor verá com outros olhos o tradicional “cafezinho”. Se isso acontecer, nosso trabalho valeu a pena.

  • Luiz Claudio Vieira Lopes

    Discordo acerca das opiniões emitidas acerca do café conilon (no caso, o robusta).
    O café conilon é muito mais saboroso e aromático que o arábica!
    Se por acaso um dia viajar para o ES e for em Cachoeiro, compre um pacote do Café Campeão e dê sua opinião!

    • Luiz Claudio Vieira Lopes

      Tem que ser o pacote vermelho!

  • Sandra

    Boa tarde, pessoal.

    Interessantíssimo o site, estou lendo tudo sobre café, pois eu e meu marido vamos comprar nossa primeira máquina de espresso. Como estamos iniciando, ficamos entre a Eletrolux Crema e a Philco PHC 19. Será que alguém pode nos informar qual a melhor? Obrigada.

  • Thiago Colletes

    Excelente o vídeo, muito informativo, eu não fazia idéia de como o café era feito, como os blends se diferenciavam, etc… parabéns ao pessoal do qvinho!

  • Pingback: Mais sobre café |

  • Patricia

    Jomar,
    Acabo de conhecer seu site e simplesmente adorei!!! Tenho pesquisado cafeteiras e máquinas de café espresso e ainda tenho muitas dúvidas e essas dicas vieram na hora certa. O que vc acha daquelas cafeteiras italianas elétricas ou mesmo as que fazem espresso no fogão doméstico? Dá pra fazer um “bom café”?

  • Caio

    Olá, comecei a me interessar pelo assunto faz pouco tempo, mas a cada dia que leio e me aprofundo gosto mais. Descobri os videos de vocês e estou adorando aprender sobre cafés, tanto que o meu próximo passo será comprar uma máquina. Abs

  • Pingback: Ford Edge Espresso Experience #4: espresso, cappuccino e latte art

  • marco antonio

    Vocês estão chique hein? Passeando num carrão desses em pleno jardins… também quero. Brincadeiras a parte parabéns por trazer esse tema dos cafés para o qvinho.

  • Pingback: Ford Edge Espresso Experience: café especial vs. café comum

  • http://www.qvinho.com.br Jomar

    Maria, sou um purista, sendo assim, gosto do clássico espresso de 30ml. Também gosto do tradicional cappuccino, feito só com leite vaporizado. Em cafeterias consumo apenas esses dois tipos de bebida, mas isso não quer dizer que outras variações não tenham valor. Gosto é gosto e cada um tem as suas preferências.

  • Maria Carolina

    André, você tirou as palavras da minha boca ou melhor do meu texto…Isso mesmo, a ideia é essa, servir com qualidade! Adoro cafés especiais. Ah, quero saber a opinião do pessoal do Qvinho: o que vocês acham daquelas sugestões ou maneiras de servir café que encontramos nos cardápios de algumas cafeterias, exemplo café gelado, café com creme, café com sorvete, entre outros? Abraços pessoal!

  • André

    Quando convido um cliente para um café em minha empresa faço questão de frisar que trata-se de um espresso. Tomar um simples “cafezinho” não tem a menor graça, por sua vez um espresso bem tirado e com grãos de qualidade é algo prazeroso.

  • http://www.qvinho.com.br Jomar

    Rodrigo:

    Também li essa matéria sobre o Aero-Press. O sistema parece bem interessante, mas realmente não posso afirmar se vale ou não a pena. Tem que testar, só assim poderemos descobrir o seu real valor. O preço aqui no Brasil está um pouco caro; nos EUA é vendido por 25 dólares.

    Silvia:

    Nos próximos vídeos trataremos das diferença entre café comercial e especial. Você vai entender porque esses café são mais caros.

  • Ana Paula

    Adoro café!!!
    E esse cappuccino parece delicioso…..

  • Eloise

    Parabéns pelo trabalho, muito bom! Aguardo para ler os novos artigos e ficar mais por dentro deste mundo admirável do café. Vale ressaltar: que carrão. Lindo! Abraços

  • Vera

    Adorei o post do Ford Edge Espresso Experience.Ótima ideia!

  • Silvia

    Gosto muito de café, mas essas marcas especiais são tão caras! Vale mesmo a pena?

  • rodrigo

    Preados editores
    Li na Folha de SãoPaulo, desta semana, uma matéria sobre una
    máquina de fazer café, denominada Aero-Press, que seria uma mescla de
    café filtrado e sobre pressão.O caféteria a textura de umcoado, sem
    perder os aromas do espresso. A pressão é manual, parece que o material é de acrílico, pelo que pude ver da pequena foto exibida no periódico e o preçoéo de 180,00+ frete.
    O q vcs acham dela? Vale a pena adquirí-la?
    Grato rodrigo

  • http://www.usu.edu Robson Chaves

    Tudo feito com muita classe e qualidade. The Ford way!

  • http://www.braunacoffee.com/ João

    Parabéns Jomar. Vocês sempre inovando. Escrevo para, de alguma forma tentar contribuir com a matéria. A quantidade de cafeína nas xícaras de espresso e coado não são tão diferentes. A quantidade no coado é maior quando comparamos uma xícara de Espresso feita com a mesma quantidade de pó que o coado, mas o volume das xícaras é bem diferente, 50ml para espresso contra 500ml coado(volume hábitual de consumo americano). Se compararmos nosso Espresso com nosso coado (também 50ml) as quantidades de cafeína no Espresso são maiores.
    Abraço,
    João.

  • Cristiano

    Gostei da aula de café e do carro também!

    Abraços,

    Cristiano

  • Simone

    Parabéns!!! Adoro café, ficou show… vou aguardar pelos próximos. Beijuuus!!!!!