Almoço promove lançamentos da Terrazas de Los Andes

A convite da Terrazas de Los Andes, uma empresa pertencente ao grupo francês LVMH, estive presente no almoço realizado dia 24 no restaurante Piselli em São Paulo (veja as fotos), para a apresentação do principais lançamentos da linha Terrazas Reserva e Aficando. Entre eles os vinhos: Terrazas Reserva Malbec 2006, Terrazas Afincado Malbec 2005, além do Terrazas Afincado Tardio Petit Manseng. O evento dirigido a imprensa especializada contou com a presença de Manuel Louzada, diretor de enologia da Terrazas de Los Andes. Foi muito legal participar desse almoço já que o Manuel foi nosso primeiro entrevistado no QVinho. Conversei com ele um pouco antes do almoço; esse português que se criou em meio aos vinhos (sua família é proprietária da tradicional Caves Messias), e adotou Mendoza como seu domicílio, falou com muito entusiasmo e paixão sobre o que mais gosta: fazer vinhos. Como já tínhamos feito um review do Afincado Malbec 2004 perguntei ao Manuel sobre as diferenças do primeiro em relação a safra 2005 que estava sendo lançada.

A safra 2004 sofreu uma forte influência de um verão quente e seco. O resultado foram vinhos concentrados e repletos de fruta madura. Por outro lado em 2005, o período que antecedeu a colheita, de janeiro a março, foi seco e frio. Os vinhos dessa safra são muito elegantes, marcados por uma fruta fresca vibrante, taninos finos e uma excelente acidez. Eles já estão ótimos e macios hoje, mas têm um ótimo potencial de guarda. Agora, 2008, essa sim foi excepcional! Fiquem de olho quando os vinhos dessa safra chegarem ao mercado e comprem algumas caixas, principalmente dos Malbec, brincou Louzada.

Manuel Louzada - Enólogo da Terrazas de los Andes

Quanto ao estilo de seus vinhos Louzada fez uma analogia com os cavalos e mostrou-se um partidário do equilíbrio, também não escondeu seu fascínio por fazer vinhos que possam envelhecer bem.

Gosto de comparar os vinhos com cavalos. Por trás de toda a elegância de um puro sangue lusitano você encontra muita potência. Procuro me inspirar nisso ao fazer os vinhos. Acredito que o vinho é um ser vivo, que evolui. Essa perspectiva é fabulosa! É muito prazeroso beber um vinho envelhecido, afirma entusiasmado Louzada.

Esse ano a Petit Manseng passou a integrar a linha da Terrazas, mas o trabalho para identificar as variedades com maior potencial de adaptação e capacidade para produzir grandes vinhos é contínuo. Segundo Manuel são mais de 170 ensaios em andamento com as mais diversas uvas, terrenos e processos de vinificação.

Nossa filosofia preza muito a qualidade. Antes de lançarmos um vinho precisamos de uma consistência de pelo menos três anos de bons resultados. Caso isso não ocorra, mantemos os estudos, mas o produto não vai para o mercado. Um dos estudos que estamos fazendo é com a Sémillon. Sou apaixonado por essa uva, principalmente por sua capacidade de evelhecimento. Hoje, temos uma área em Tupungato com três parcelas destinadas a distintos processos de vinificação, sendo que uma delas é voltada a produção de late harvest.

Louzada também comentou sobre o enorme potencial da Torrontes e os estudos já bem avançados com a Pinot Noir em Tupungato. Quem sabe não veremos novidades em breve rótulos da Terrazas também com esses varietais. Em relação a democratização do acesso à informação e das discussões que hoje movimentam o mundo do vinho, principalmente em blogs e websites, Louzada revelou-se um grande entusiasta da tecnologia:

Acho isso tudo fantástico! Até um tempo atrás o consumidor tinha poucas fontes para saber mais sobre vinhos e balizar suas compras. A princípio isso poderia ser bom para os iniciantes já que bastava consultar dois ou três papas do assunto e pronto, o vinho escolhido era garantia de uma boa compra. Hoje, o negócio é muito mais caótico, porém a medida que você aprende mais sobre assunto é melhor ter mais referências. Confrontando os pontos de vista e participando das discussões fica mais fácil para o consumidor ter a sua própria opinião. O mundo do vinho é uma grande descoberta!

Na esteira do que conversávamos sobre os hábitos do consumo do vinho, o Manuel falou algo muito bacana. Ele ensina seus a filhos desde cedo sobre o consumo responsável de bebida alcoólica. Isso é legal e me lembrou muito a criação que eu meus irmãos tivemos casa. Tínhamos acesso, desde crianças, a quase todo tipo de bebida, mas por outro lado, meu pai sempre passou muita informação. Em tempos de proibição e repressão vejo que o melhor caminho ainda é a informação e a conversa franca. Educação vem de casa!

Leia a cobertura online feita pelo Twitter

  • http://www.qvinho.com.br Jackson

    Olá Withney, a distribuição no Brasil desses vinhos é realizada pela próprio grupo LVMH. Se você quiser saber mais sobre os pontos-de-venda no Brasil sugiro que você entre em contato com eles:

    Moët Hennessy do Brasil
    Av. Brasil, 1814
    Jd. America
    Cep.: 01430-001
    São Paulo – SP
    TEL :+ 55 11 30 62 83 88
    FAX :+ 55 11 30 68 89 92

  • Withney Reina

    Jackson,
    Tive oportunidade de experimentar os dois vinhos em um jantar oferecido pela Loui Vuitton esta semana e tambem gostei muito. Você sabe me informar quem está trazendo eles para Sao Paulo?

  • http://www.qvinho.com.br Jackson

    Muito obrigado Dani!

    Paulo, coloquei algumas impressões sobre esses vinhos no meu Twitter. Quem sabe depois não fazemos um review deles. Agora posso te dizer que são ótimos vinhos. O Terrazas Reserva 2006, apesar de jovem, já está bem acessível, tanto no nariz como na boca. O Afincado 2005 já tem um estilo mais complexo; bouquet ainda tímido, mas com grande concentração e elegância. Se eu tivesse algumas garrafas desse Afincado 2005 deixaria mais um tempo na adega.

    Abraço

  • Daniela

    Jackson, a entrevista ficou ótima! Parabéns pelo bom nível do QVinho.
    bjs
    Dani

  • Paulo Cesar

    Jackson, o que você achou do Afincado Malbec 2005 e o Reserva 2006? Alguma recomendação sobre eles?