Novidades da Nieto Senetiner

Cadus

O grande barato do mundo do vinho é descobrir coisas novas, por isso, sempre que possível, compareço a degustações de novos vinhos. Na semana passada a bola da vez foi a Nieto Senetiner, que marcou presença em solo brasileiro com o enólogo Roberto Gonzáles e o agrônomo Tommy Hughes para apresentar os últimos lançamentos. A tradicional Nieto Senetiner já foi alvo de análises mais detalhadas do QVinho, visitamos essa bodega em 2009 e na ocasião publicamos um post completo. O almoço promovido pelas importadoras Porto a Porto e Casa Flora foi bem argentino, realizado na churrascaria Saanga Grill, contou com empanadas, ótimos cortes de bife de chorizo e até com um exclusivo bife Kobe grelhado.

Para abrir os serviços, provamos o já conhecido Cadus Syrah 2002, um vinho que no alto de seus 9 anos afirma a competência da equipe da Nieto Senetiner em trabalhar com essa variedade. Esse Syrah mostrou boa evolução, na boca é encorpado e sedoso, já o nariz é repleto de notas finas de carvalho tostado e frutas vermelhas em compota. Depois foi a vez do Cadus Trimalbec 2008, um vinho elaborado com a mistura de uvas de 3 regiões distintas. A Malbec responde muito bem as diferentes altitudes de Mendoza, por isso faz todo o sentido elaborar cortes desse tipo. As uvas de Vistalba (950m), Agrelo (1050m) e Vistaflores (1150m) garantem um vinho harmonioso no melhor estilo argentino, com taninos de excelente qualidade, aroma de frutas negras do bosque e certas notas de chocolate. Gostei do resultado, tem um perfil bem mais elegante que o opulento Cadus Malbec Single Vineyards. A grande surpresa foi o Cadus Grand Vin 2008, sem dúvida uma proposta ousada e diferenciada, que comprova a diversidade de estilos dos atuais vinhos argentinos. O corte de Malbec (50%), Cabernet Sauvignon (30%) e Bonarda (20%) é incomum, mas a Nieto Senetiner é especialista em Bonarda, talvez por isso essa variedade apareça aqui em elevada proporção. A minha primeira impressão foi boa, gostei dos aromas intensos de amoras negras e mirtilo, também impressionaram os taninos de ótima qualidade e a boa acidez. Outra novidade que merece registro é o Cadus Champenoise,  um espumante de alta gama produzido com Pinot Noir (70%) e Malbec (30%) das zonas mais elevadas de Mendoza. É um espumante encorpado e fresco, de cor levemente rosada, com muitos aromas frutados. Sem dúvida um espumante bem acima da média para os padrões argentinos. A Nieto Senetiner prova mais uma vez que é capaz de surpreender com vinhos de ótima qualidade.

* Os vinhos da Nieto Senetiner são importados pela Porto a Porto e Casa Flora.

  • Rodrigo Almeida

    Jomar, vc pode informar o custo destes vinhos??

    Eles já estão disponíveis nas importadoras do Brasil??

    Quais são elas??