Cognac, Armagnac e charuto cubano

Há alguns meses uma garrafa de Armagnac Chateau Laubade XO veio parar em minhas mãos e, como o clima estava muito quente, somente agora abri essa garrafa. Confesso que fiquei ansioso em degustar esse brandy juntamente com outro de mesma categoria, um Cognac XO seria perfeito, mas tive que me contentar com um Camus VSOP. Armagnac e Cognac são regiões na França que produzem brandy (destilado de vinho) ou eau de vie, como chamam os franceses. Estes são os brandies de maior prestígio, mas são sensivelmente diferentes.

França: Cognac Camus e o armagnac Chateau Laubade

Cognac situa-se numa área determinada na região de Poitou-Charentes na França, portanto uma indicação de procedência (não possui nenhuma semelhança com as bebidas rotuladas no Brasil com o nome “conhaque”). Armagnac também é uma indicação de procedência da região da Gasconha, ao sudoeste de Cognac, próxima dos Pirineus, que empresta seu nome ao brandy. Cognac e Armagnac são bebidas diferentes em vários aspectos, devido ao terroir, técnicas de destilação e envelhecimento. A grosso modo, o Armagnac costuma ser mais leve e frutado, como o excelente Chateâu Laubade XO que degustamos. Elegância, sutileza e intensidade aromática são características marcantes no Laubade XO, revelando muita fruta seca como ameixas, passas e laranjas, envolvidas por notas florais e amendoadas. Na boca é macio e envolvente, com adstringência mínima. O Camus é mais forte e direto, com aromas de torrefação, nozes e resinas, apresentando um bouquet mais próximo do Uísque. Mais encorpado e adstringente que o Armagnac, provavelmente devido aos taninos menos evoluídos, mesmo assim, redondo e cheio, como convém a um bom Cognac.

Charutos Cubanos: Hoyo de Monterrey Epicure n.º 2, Partagás Serie D n.º 4 e Montecristo EdmundoA segunda parte da degustação foi acompanhada por charutos. Uma combinação clássica, porém, nem sempre adequada, como comprovamos na harmonização dos puros com o Armagnac. Os charutos cubanos escolhidos são, indiscutivelmente, de personalidade marcante. Montecristo Edmundo, Partagás Serie D n.º 4 e Hoyo de Monterrey Epicure n.º 2. Com exceção do último, que é mais suave, todos os outros ofuscaram a sutileza do Laubade, mas acompanharam bem o Camus, com ressalvas para o encorpado Montecristo. É preciso ter em mente que brandies de categoria XO ou superior, principalmente Armagnac, são mais delicados e sutis, podem perder o charme na companhia de puros, mas se for essa a intenção, é melhor escolher charutos suaves, como os baianos e domenicanos. Prefiro os puros acompanhados por cerveja Stout ou Grappa.

Quanto ao Armagnac, além do Chateau Laubade, recomendo o Jeanneau, outro excelente representante desse nobre destilado. Não é muito fácil de achar, mas vale a pena procurar, principalmente agora que sabemos das suas propriedades medicinais.

  • Paulo Sousa
  • Kelly

    Olá! O que escolheriam entre um Cognac X.O. e um Armagnac safra 94 X.O.???

  • MAINGUE

    TENHO UM CAMUS COGNAC NAPOLEON RARE OLD
    QUE FUI OFERECIDO COM UM AMIGO COMO
    POSSO BEBER, EM QUE OCASIAO

  • Giancarlo

    A ALGUNS ANOS GANHEI DE AMIGOS UMA GARRAFA DE MARQUIS DE MONTESQUIOU ARMAGNAC (napoleon) COMO DEVO BEBE-LO QUANDO E QUAL O TIPO ADEQUADO DE CALICE OU COPO DEVO USAR

  • Alejandro Carriles

    Minha combinação: Courvoisier Napoleon e Cohiba Siglo II.

  • rubens lopes

    conhaque x.o. e charuto cubano legitimos e tudo de bom.

  • http://www.qvinho.com.br Jomar

    Sim Alexandre! A Baden Baden Red Ale é muito boa com charutos.

  • Alexandre Loper

    Tenho a curiosidade de saber como essa garrafa veio parar nas mãos de vcs. Todos os XO são um mundo à parte, praticamente desconhecido aqui no Brasil. Parabéns por abrirem esse mundo em língua portuguesa!

    Sobre os puros, sugiro uma Baden Baden Red Ale.