Alamos Pinot Noir 2006

Catena Alamos Pinot Noir 2006Os vinhos da linha Alamos estão entre os rótulos mais populares aqui no QVinho, um fato pouco surpreendente, pois a marca Catena tem muita força no Brasil. Considerando a qualidade desses vinhos, regularmente boa, além do preço acessível, fica fácil entender o sucesso do Alamos. Já comentei sobre o Alamos Malbec, uma verdadeira Coca-Cola dos vinhos argentinos; degustamos também o Alamos Reserve Malbec La Posta Vineyard, bem mais sutil e elegante. Agora chegou a vez do Pinot Noir, que apesar de bem feito, deixa a desejar em estilo. Atualmente a Pinot Noir é uma pop star, todos os produtores ambiciosos querem produzir um grande vinho com ela, porém poucos chegam perto disso. No caso da Catena, o próprio Nicolás admite que ainda é preciso muito trabalho, pois acredita que a Pinot Noir ainda não achou o terreno e o tratamento adequado em terras argentinas. Seja como for, o Alamos Pinot Noir não é um vinho ruim, mas também não empolga. Exibiu cor cereja com transparência evidente, além de lágrimas de razoável persistência. Aroma frutado intenso e direto, lembra framboesas maduras com notas evidentes de maturação em carvalho. Pouco corpo, razoável estrutura tânica, acidez insuficiente para equilibrar o álcool. Final razoável, um pouco flácido, mesmo assim mostra uma persistência mediana. O Alamos Pinot Noir seria bem mais interessante se tivesse mais acidez e menos carvalho.

Fraco
Pinot Noir frutado, leve, muito macio e com sabor característico de carvalho. Recomendo apenas para quem gosta desse estilo.
Grad. Alcoólica: 13%
Preço: R$30
Importadora: Mistral

  • Paulo Nunes

    Pinot eh pra quem gosta. Eles sao mto caracteristicos. O chile e a Argentina, ultimamente vem acertando bem no cultivo e vinificacao dessa dificil cepa. O Alamos Pinot tem um ponto mto favoravel que eh a falta de pretensao. Vc o pede sem mtas expectativas e acaba se surpreendendo com deliciosos aromas e paladar frutado, facil de beber e de acompanhar com diversos pratos. Altamente recomendado como custo x beneficio.

  • Pingback: QVinho faz aniversário de 1 ano

  • Marco Aurelio Guiotti

    Tive uma experiencia interessante com os vinhos da Zapata. Comecei com o Catena Alta, grandioso vinho, em ocasiao especial, quando nao tive a oportunidade de degusta-lo em generosa quantidade. Depois, experimentei por algumas vezes, o Alma Negra, excelente vinho. Assim, curios que sou, foi atras dos outros rotulos e, propositalmente, escolhi o Alamos para comecar a conhecer essa fantastica bodega argentina. Primeiro provei o Alamos Cabernet Sauvignos 2007, depois o Malbec 2006 e entao o Pinot Noir 2006, o qual achei fantastico, reservando minha humildade no ramo. Quero ainda experimentar o GRANDE Malbec Argentino, quem nao quereria? Quem gosta de Pinot, como eu, vá sem mado, como diz nosso amigo Luiz.

  • Luiz Martini

    Cada um com sua preferência. Para quem acha que só vinho caro é que é bom, os Alamos são apenas regulares. Quem gosta mesmo de vinho [e não de rótulo] e tem apreço pelo bolso, sabe que os Alamos são muito bons. Esse Pinot Noir, então, é um dos melhores. Quem não experimentou e não tem frescuras e mesuras para beber vinho, pode comprar e tomar sem medo!

  • Pingback: QVinho faz aniversário de 1 ano | QVinho - Blog de vinhos, gastronomia e espresso

  • jean araujo

    Gostei bastante dos vinhos da linha Alamos. Gostei muito do cabernet sauvignon e do pinot noir. Vinho bastante aromático, em qualquer versão,equilibrado e suave. Creio que pelo custo X benefício é uma excelente escolha. Aqui em Basília o preço da garrafa gira entre R$20,00 e R$ 35,00 dependendo do local.

  • http://www.guindaste.net Carol Costa

    Excelente blog, estão de parabéns!

  • Cristiano

    Achei que o Alamos Pinot Noir tem uma certa intensidade no aroma, entretanto, na boca ele fica a desejar.