WofA 2010: Bodega NQN

Como se não bastasse a intensa programação de visitas e degustações realizadas durante a minha última viagem a Patagônia, também pude testar novas ações no que tange a divulgação online de degustações e interação com os leitores. Conhecendo esse meu lado nerd, o pessoal da Wines of Argentina me fez o convite para conduzir um Taste Live pelo Twitter direto da Patagônia – acompanhado por colegas blogueiros em São Paulo (leia o Post no Vinhos de Corte) – não pensei duas vezes. Afinal, sempre gostei dessas brincadeiras tecnológicas. Depois de maratona de degustações, partimos da Bodega Del Fin Del Mundo para a vizinha NQN. A escolha da vinícola para o palco dessa ação não poderia ser mais acertada. Comandada pelo jovem e dinâmico Lucas Nemesio, a NQN disponibilizou toda a infraestrutura do Malma Restó e colocou dois de seus rótulos a prova. Os primeiros tweets com impressões sobre os vinhos começaram por volta das 20h:20, e foram seguidos de inúmeros reply e comentários dos participantes. Em meio as interações – via Twitter e Facebook – Lucas e o enólogo Sergio Pomar, obtiveram um feedback instantâneo das impressões dos blogueiros brasileiros sobre os vinhos provados. Não tenho dúvidas, o crescimento dos computadores conectados em rede, associado à meteórica ascensão das redes sociais, fará de inciativas como esta, a realidade em termos de divulgação de novos produtos e interação com os consumidores.

Fundada em 2001, pelos sócios Luis Maria Focaccia e Lucas Nemesio, a Bodega NQN está localizada em San Patrico del Chañar, na promissora região vitivinícola de Neuquén. Os vinhedos ocupam uma área de 162ha, grande parte representado pela Malbec (42%) e Merlot (21%); e a vinícola de arquitetura moderna e muito bem integrada a paisagem patagônica, possui uma capacidade de produção de 1.800.000 litros. Embora jovem, a NQN conseguiu mostrar uma evolução considerável num curto espaço de três safras. O trabalho desenvolvido pelo enólogo chefe, Sergio Pomar, contou com a consultoria do experiente enólogo Roberto de La Mota (Mendel Wines). Se a filosofia da vinícola continuar trilhando esse bom caminho, certamente provaremos vinhos ainda melhores nas próximas safras.

Nesta visita tivemos a oportunidade de provar dois rótulos. O primeiro deles foi o Malma Gran Reserva Malbec 2006 (R$73), um vinho de bouquet perfumado e delicioso. Uma fruta fresca bem evidente, lembrando framboesas e cerejas, que não se ofusca pelos 12 meses no carvalho; talvez um leve toque floral. Na boca é equilibrado, taninos finos e macios, marcado por uma ótima acidez. Final persistente e delicioso. Já o Coleccción Malbec 2006 (R$103), um 100% Malbec de vinhedos de baixo rendimento (7.000kg/ha). O vinho estagia 15 meses em barricas de carvalho francês, não por acaso ao primeiro contato os aromas da madeira aparecem em destaque; mas não demora a liberar um perfume intenso de frutas negras maduras, chocolate, além das típicas notas especiadas e minerais do Malbec Patagônico. Na boca o Colección é imponente, e impressiona com seus taninos firmes e um final de ótima persistência. Ainda jovem pode suportar bem mais alguns anos na garrafa.

Não pudemos fazer uma degustação técnica com todos os rótulos da bodega, mas a experiência de conduzir o Taste Live a partir da NQN, e o jantar no Malma Restó Bar com parte da equipe do Lucas, sem dúvida, valeu cada minuto. Os pratos do Chef Matias Nuñez conseguem aliar uma certa dose de modernidade, porém sem perder a riqueza de sabor dos ingredientes patagônicos. Que tal uma entrada com as deliciosas empanadas de truta? Impossível resistir. Sério, poderia passar o resto do jantar apenas com um prato dessas empanadas, acompanhadas, é claro, de uma garrafa de Malma Malbec.

Não poderia faltar um dos ingredientes mais típicos da região: o delicioso Cordeiro Patagônico assado no forno com redução de Malma Merlot, servido com um croquete de milho, alhos assados e cebolas confitadas. A sobremesa não ficou para trás, um mix de frutas vermelhas acompanhado de um sorvete de creme.

Turismo
Visitas Guiadas: segunda a sexta das 9h às 16h
Sábados, Domingos e Feriados: 10:30hs às 16:30hs (inglês e espanhol) / grupos até 15 pessoas.

Ruta Provincial 7 – Picada 15
San Patricio del Chañar – Neuquén
Patagônia- Argentina
bodeganqn@bodeganqn.com.ar
turismo@bodeganqn.com.ar

Para visualizar a localização exata consulte o mapa Bodegas Patagônia

* * *

Este post faz parte da série Wines of Argentina 2010 (WofA). Clique aqui |+| para ler mais. Para ler sobre outras viagens dos editores pela Argentina, clique aqui |+|.

  • ELMO

    Jackson, de repente a Patagônia consegue com o tempo se desvincular da geléia espessa que todo mundo parece esperar dos Malbecs de Mendoza… o que eu provei da NQN não me impressionou, bem mesmo o que provei da Del Fin del Mundo. Será mesmo que só depois dos 25 anos de idade os vinhedos podem ser realmente levados a sério? Thoughts in the wind… rs

  • cyrillo de s. mothé filho

    O artigo não faz menção ao importador da Bodega NQN para o Brasil: Vinhos do Mundo, Porto Alegre, RS. Como se pode notar em seu catálogo, vários rótulos da NQN tem reviews muito animadores com pontuação de 87 a 92. Produtos a disposição para Mato Grosso do Sul sobre minha responsabilidade. Continuem com o bom trabalho de sempre. Abs, Cyrillo