Fabre Montmayou

Nós do QVinho sempre insistimos para que você prove diferentes vinhos, para que aprenda a curtir a diversidade, uma forma de ficar afastado da ditadura do gosto padrão. O melhor vinho é aquele que “eu gosto”, não aquele que todos “dizem ser o melhor”, muito embora essa filosofia não se aplique aos vinhos ordinários, feitos com uvas de baixa qualidade e vinificados de maneira inadequada. Esses sempre serão ruins, mesmo que muita gente goste. Refiro-me a ótimos vinhos que permanecem no anonimato, a sombra de grandes marcas que conseguem maior projeção no mercado. Vejamos o caso de Mendoza, uma região vinícola com mais de mil bodegas, quantas são reconhecidas no Brasil? Já perguntei para vários fãs de vinhos argentinos, poucos conseguem citar mais de dez produtores, uma prova irrefutável de que ainda impera um grande desconhecimento, além de revelar o mau hábito de consumirmos sempre os mesmos rótulos.

Bodegas como a Fabre Montmayou ainda permanecem desconhecidas por aqui, um verdadeiro pecado, afinal produzem ótimos vinhos a custo mais interessante que muitos blockbusters argentinos. A Fabre Montmayou começou suas operações em 1992 pelas mãos de Hervé Joyaux Fabre, um francês de origem bordalesa membro de uma família com larga trajetória no mundo do vinho. Hervé ficou encantado com a Malbec, decidiu comprar vinhas e construir um chateau. O local escolhido foi Vistalba, Luján de Cuyo, onde existia um vinhedo de 15 ha de Malbec plantado em 1908. Nascia assim uma das primeiras bodegas boutique da Argentina.

Atualmente a Fabre Montmayou conta com 53 ha de Malbec, 20 ha de Cabernet Sauvignon, 10 ha de Chardonnay e 5 ha de Merlot, quase tudo em Luján de Cuyo (uma parte do Chardonnay provém de Tupungato). São áreas modestas para os atuais padrões vitivinícolas do Novo Mundo, embora muito adequadas para uma administração familiar. A nossa visita foi conduzida pelo casal Diane e Hervé Joyaux Fabre, que explicaram em detalhes a filosofia da bodega e proporcionaram uma excelente degustação. O casal Fabre é de certo modo tradicional, afinal não são adeptos de muita intervenção na produção, além de não gostarem do excesso de madeira. O resultado final é convincente, pois os vinhos da Fabre Montmayou conseguem exprimir muito bem a deliciosa fruta da Malbec, sem exagerar na concentração ou pecar pela dominância do carvalho. Além da propriedade em Mendoza, existe uma outra em Alto Valle de Rio Negro (Patagônia), onde o casal Fabre possui 20 ha de Merlot, 10 ha de Malbec, 5 ha de Cabernet Sauvignon, 5 ha de Syrah, 5 ha de Chardonnay e 5 ha de Semillión. A Fabre Montmayou da Patagonia ainda é um projeto relativamente recente, mas já apresenta um Malbec muito agradável e interessante.

Fabre Montmayou Chardonnay Reserva 2009

A Chardonnay costuma ser desprezada em Mendoza, afinal são poucos os produtores que realmente destinam tempo e dedicação a essa variedade, mesmo assim é surpreendente a quantidade de bons exemplares a preço justo, caso do Chardonnay da Fabre, que não é um vinho memorável, muito embora seja feito com cuidado e apresente um bom acabamento. Aroma agradável, fruta tropical com algumas notas de maçã verde e tostados do carvalho. Na boca é bem equilibrado, gostoso e fácil de beber. Apenas uma parte (20%) do vinho foi fermentada em barricas de carvalho francês.

Fabre Montmayou Patagonia Barrel Selection Malbec 2008

Belo exemplar de Malbec patagônico, bem focado na fruta e com pouca maquiagem. Nariz intenso, repleto de aromas de frutas negras, reforçadas por toques minerais e tostados do carvalho. Corpo médio, equilibrado, porém com taninos ainda jovens. Um Malbec vigoroso que não peca pelo excesso de concentração e álcool. 60% do vinho foi maturado por 12 meses em barricas de carvalho francês.

Fabre Montmayou Gran Reserva Malbec 2008

O principal vinho monovarietal da Fabre é feito a partir de vinhas com mais de 60 anos da região de Vistalba, um Malbec delicioso, com fruta exuberante. Ótimo aroma, intenso e sedutor, com frutas negras bem maduras, toques florais e notas bem integradas do carvalho. Encorpado e estruturado, taninos de excelente qualidade. Final longo e agradável. Maturado por 1 ano em barricas de carvalho francês.

Fabre Montmayou Gran Reserva Cabernet Sauvignon 2008

Cabernet Sauvignon bastante convincente e de personalidade forte, produzido com uvas da zona de Las Compuertas, Luján de Cuyo.  Bom aroma, frutas negras discretas, com notas de pimentão grelhado, café torrado e chocolate. Encorpado, os taninos densos agarram um pouco. Final seco e com persistência média. Maturado por 1 ano em barricas de carvalho francês.

Fabre Montmayou Grand Vin 2007

O vinho top da Fabre Montmayou é um corte de Malbec (85%), Cabernet Sauvignon (10%) e Merlot (5%), de vinhedos velhos plantados em 1908 na zona de Vistalba, Luján de Cuyo. Entre os grandes de Mendoza, um vinho com as melhores características que a Argentina pode oferecer; um estilo sedutor, exuberante e incrivelmente fácil de ser apreciado. Aroma intenso e complexo, repleto de frutas vermelhas, goiabada,  toques florais e notas delicadas de minerais e carvalho tostado. Jovem e encorpado, mas com taninos macios. Longo, com um final de boca frutado que permanece por bastante tempo. Maturado por 16 meses e carvalho novo francês.

Importação: Expand

Visitas:

A Fabre Montmayou fica em Vistalba, Luján de Cuyo, na Calle Roque Saenz Peña. Para chegar lá é fácil, veja o nosso mapa:

Localização da Fabre Montmayou

* * *

Este post faz parte da série On the Road 2009. Clique aqui |+| para ler mais artigos sobre o Chile e a Argentina. Clique aqui |+| para ler sobre outras viagens dos editores.

  • http://www.vivaincuiaba.com.br/vinhosincuiaba André Molina

    Conheci o Fabre Gran Vin em Buenos Aires há dois meses, por indicação de uma atendente francesa da loja Winery da Recoleta. Ela insistiu para que compra-se 1 e degustasse no hote, pois a safra era antiga e o vinho estava com bom preço, final de estoque. Comprei e degustei. Excelente vinho, complexo, harmonioso e com aromas sedutores. Voltei na loja e comprei mais 5 garrafas para trazer, da safra 2004, cada uma por R$ 100 (preço da Winery). Aqui não Brasil ainda não procurei o vinho para saber o preço. Com certeza não será nada menos que R$ 250.

    O meu vinho excepcional da viagem, disputando com o Fabre Gran Vin, foi o Finca La Anita Malbec…Excepcional! Fiquei estasiado quando provei… Aromas maravilhosos…. Não parece vinho argentino, de padrão comercial, muito menos malbec com seus aromas de violeta manjados… Era um vinho superior, remetendo aos grandes europeus…. um vinho que transcende as memórias gustativas que temos de malbec argentino… Lá não era tão caro, uns R$ 70.

  • http://www.rstri.com.br Daniel

    Sandra, também provei o Fabre Montmayou Cabernet Sauvignon 2003 quando estive em Buenos Ayres e achei excelente.
    Não sou conhecedor de vinho mas só sei que gostei muito de saboreá-lo…

  • Sandra

    O Fabre Montemayou Cabernet Sauvignon 2003 foi uma surpresa fantástica.. um vinho maravilhoso. Comprei ao acaso em uma das minhas viagens pela Arrgentina e suas vinícolas. Ano seguinte fui até a vinícola da Fabre… e vim procurando e comprando o vinho através da Argentina… pena que poucas cartas no Brasil o conheçam.. ainda tenho deles um Gran Vin esperando o momento certo para ser apreciado.

  • http://www.casadovinho.com.br Armando Martini

    Estamos importando os vinhos da Fabre Montmayou desde 2009 da linha Phebus. Sao vinhos com ótima relação preço/qualidade. Vejam o nosso site.
    Alias, nossos outros vinhos são surpreendentes, de pequenos produtores e escolhidos por nós, pessoalmente. Saudações
    Martini Casa do Vinho. BH/MG

  • http://www.baccoubriaco.com.br Charlston Dalmonico

    Provei agora pouco o GRAN Malbec 2005, realmente um vinho muito bom. Intenso de aroma, corpo médio-alto, com taninos ainda bem firmes. Perdeu um pouco a acidez após 5 anos é compreensível)..acho que evolui ainda mais uns 3 ou 4 anos.

    • http://www.qvinho.com.br Jomar

      Bem lembrado Charlston, os vinhos da Fabre costumam ter taninos firmes, diferentemente da maioria dos malbecs comerciais, que tendem a flacidez. O Gran Reserva Malbec é muito bom, mas o Grand Vin dá um show. Vale a pena.

  • Edelson

    Olá Jomar e Jackson.
    Parabéns pelo post.
    Realmente é muito bom ter esse blog como referencia, pois assim podemos conhecer um pouco mais o mundo do vinho, e sair da “mesmice” dos vinhos tradicionais.
    Confesso que deu vontade de experimentar!!!
    Entrei no site da Expand, mas não encontrei nenhum vinho da bodega Fabre Montmayou.
    Será que só vendem na loja física?
    Abraços.

    • http://www.qvinho.com.br Jomar

      Edelson, o negócio é procurar. Também não achei na internet (por isso esse post não apresenta os preços). Não perco tempo fazendo pesquisa de preço, visitando lojas, ligando em busca de informações que deveriam estar acessíveis nos sites dos importadores.