Familia Zuccardi Q Trempranillo 2004

Familia Zuccardi Q Trempranillo 2004Sempre me pergunto, ao ler as críticas e as listas de pontos publicadas por revistas como a Wine Spectator, a Wine Advocate, e a Wine Enthusiast, por que certos vinhos não emplacam. Sim, porque se por um lado certos rótulos ganham o status de obra prima com direito à capas de revista, entrevistas com o enólogo e muita bajulação; outros, diga-se de passagem bons vinhos, talvez com três ou quatro pontos a menos, não gozam nem da metade da exposição. Claro, estamos falando de marketing, e nesse terreno, o mundo do vinho cresceu exponencialmente. Essa matemática perversa que catapulta ou soterra determinados produtos, realmente, é difícil de explicar. Resolvi fazer esse pequeno exórdio em vista da classificação dada pela WS ao Família Zuccardi Q Trempranillo 2002 e 2003, respectivamente, 79 e 83 pontos! Não foram as safras que degustamos, mas não é por nada, alcançar modestos “83 pontos” é um absurdo. Já vi muito vinho argentino e chileno bem fraquinho e mascarado atingindo fácil 88 pontos. Vai entender! Lavagem cerebral a parte, o mainstream media que nos desculpe, o Zuccardi Tempranillo Q é um vinho que merece ser bebido. O “Q” é um varietal 100% Tempranillo, de vinhedos com mais de 36 anos, localizados em Santa Rosa, Mendoza. A análise visual revelou um vinho rubi escuro, com pequena transparência, lágrimas persistentes e quase incolores. Bouquet rico e complexo, ressaltando notas de chocolate e couro enriquecidas por frutas maduras como cerejas e amoras. Na boca é carnudo, vigoroso, com taninos muito presentes e utuosos, mas que consegue preservar um equilíbrio entre potência e elegância. Acidez viva com um final de boca caloroso e muito persistente. Vale destacar que o Q Tempranillo foi um dos primeiros vinhos premium feitos com essa uva na Argentina. A Familia Zuccardi é mais conhecida no Brasil pela linha Santa Julia.

Excelente
Mostra o grande potencial da Tempranillo na Argentina. Um vinho ainda jovem que pode evoluir bem nos próximos dois anos.

Grad. Alcoolica: 14%
Preco: R$ 94
Importadora: Expand

  • Antônio Ricardo

    Concordo plenamente com o Editor do Blog. Tive a oportunidade de recentemente provar um Q 2003 na própria Zuccardi, acompanhado de uma excelente carne de cervo. Sinceramente, foi uma das melhores harmonizações de vinho e carne que provei. A prova de um instigava a provar o outro. O vinho, com cor levemente acobreado, mostrava-se intenso na boca, mas sem agredir, boa estrutura, harmônico e a certeza de que ainda poderia evoluir. Excelente vinho!

  • Boris Risnic

    Tomei e saboreei o Zuccardi Q Tempranillo pela primeira vez e senti exatamente o que esta escrito nesta avaliação. Era safra 2006 e achei tão bom que já estou procurando ofertas…

  • Luiz Alberto

    (continuando, apertei o enviar inadvertidamente) MUITO MAIS BARATOS que nos seus paises de origem, inclusive nas proprias vinicolas – ex. Dom Melchor por US$59.00; Norton Privada (dificil de encontrar e carissimo na Argentina) por US$20.00. Nesses casos, definitivamente vale a pena o peso na bagagem.

  • Luiz Alberto

    Em primeiro lugar, parabens pelo blog, é excelente. Sou fã dos vinhos da Familia Zuccardi, os da Serie Q tem um excelente custo beneficio (dica: nos Duty Free dos aeroportos brasileiros saem por volta de US$29.00, sempre compro várias garrafas quando viajo). Realmente, estive recentemente na Argentina, e esses vinhos estranhamente são meio caros lá (comparativamente a outros que tem preço muito mais atrativo comparando com os preços do Brasil). Na minha viagem, optei por trazer outros rótulos, que sáo bem mais caros aqui, inclusive os da Achaval Ferrer (já comentados no Q Vinho). Outros vinhos que não compensam muito trazer são o Angelica Zapata, DV Catena, etc., que tem preços ótimos na Mistral – a diferença de preço não compensa o peso na bagagem. Voltando aos Zuccardi, tive a oportunidade de provar o Serie Z (me parece que o top da vinicola), mais caro, mas que com certeza vale a pena (aqui no Brasil o preço náo compensa).
    Voltando a questão de preços, para exemplificar essas distorções, compro vinhos chilenos e argentinos nos Estados Unidos (conhecem a Total Wine???) MUITO MAIS BARATOS

  • Vicente

    Já tive a oportunidade de beber esse vinho e também achei ele sensacional. O mais engrçado é como é possível compra-lo por quinze dólares no Paraguai, se na própria Argentina esse vinho sai por cerca de $ 114,00 pesos argentinos, algo em torno de R$ 55,00. Sei não, esse Q está mais para B de batizado.

  • Ricardo

    Estou com ele na fila, pois da Familia Zuccardi Templanillo só tomei o Santa Julia Reserva 2006. Gostei deste, imagina o “Q”!?!

    Melhor de tudo é comprá-lo por US$ 15,00 no Paraguay, quando fui pra Foz do Iguaçu. Incrível como “metem a mão” no preço aqui no Brasil. E além da margem de lucro alta, bota imposto nisso… BRASIL…SIL…SIL…

  • Renato Ruffo

    Agradeço ajuda para conseguir algum endereço para compra um Q Temp.
    visto que a expand naõ esta mais distribuindo esse vinho.

    Grato pela atenção.

  • Pingback: QVinho faz aniversário de 1 ano | QVinho - Blog de vinhos, gastronomia e espresso

  • Leonardo

    Concordo com o Editor, sou assinante da WS e muitas vezes me questiono quanto a sua classificação um pouco “tendenciosa” principalmente quando se fala dos californianos. Recentemente degustei este Tempranillo 2002 e confesso que fiquei surpreso, estava excelente! Este vinho é muito bem trabalhado com notas de couro frutas vermelhas como amora e ameixa de muito boa estrutura e taninos elegantes, sem dúvida um excelente custo benefício!

  • Rodolfo Saldanha

    Eu bebi recentemente o Q Tempranillo 2003 e posso dizer que os 83 pts da WS neste caso fazem jus ao vinho. Na minha opinião, não passa de um vinho com fruta sobremadura, muito álcool e madeira desconjuntada, num conjunto nada harmonioso. Sem querer julgar o métodos de avaliação desta ou daquela publicação, para mim não merece mais do que lhe fora outorgado.

    Abs,

  • http://eduluz.wordpress.com Eduardo Luz

    Achei este blog bastante interessante e como também tenho um blog ( Da Cachaça pro Vinho) que se relaciona muito com os vinhos, gostaria de linká-lo lá. Posso ? E tem mais, visitei a Familia Zuccardi em novembro/06 e realmente trata-se de uma vinícola de primeira linha. Todos os Q são tomáveis e de primeira linha. Cada vez que vejo estas classificações mais me vem a cabeça a ideía de ignorá-las na bendita hora da compra.

  • http://blog.manalais.com.br Jemon

    Achei esse 100% Tempranillo um grande vinho. Elegante, intenso e com ótima persistência. A Zuccardi fez bonito com esse vinho.