Humberto Canale Marcus Gran Reserva Cabernet Franc 2001

Vinho tinto da Patagônia - Humberto Canale Marcus Gran Reserva Cabernet Franc 2001Os vinhos da série Marcus Gran Reserva (Canale Black River para o resto do mundo) são potentes, costumam apresentar uma textura firme, porém untuosa, como já comprovamos no seu Pinot Noir. Agora foi a vez do Caberner Franc, que não decepcionou, e além disso, mostrou que esses vinhos podem evoluir bem por alguns anos. Apresentou cor rubi vívida com leve transparência, halo ligeiramente alaranjado e lágrimas persistentes. Aroma primário lembrando caixa de charutos, evoluindo rapidamente, ao girar o copo, para frutas vermelhas doces e marmelada. Corpo generoso, estruturado, com boa acidez e taninos arredondados pelo envelhecimento na garrafa. Final alcoólico agradável de boa persistência. Acredito que, em safras recentes, esse vinho possa parecer um pouco rústico, já que sua estrutura precisa de um tempo para amaciar. Uma boa escolha para os dias frios do inverno ou para acompanhar pratos mais condimentados.

Muito Bom
Cabernet Franc de personalidade marcante. Surpreendeu pela sua estrutura ainda firme, apesar dos anos de amadurecimento.
Grad. Alcoólica: 14,5%
Preço: R$ 85
Importadora: Grand Cru

  • Pingback: Salentein Malbec Roble 2003

  • Cristina

    Por favor,
    Estou tentando comprar o vinho Bodegas Del Fin Del Mundo – Special Blend e não encontro em lugar nenhum. Moro no Rio de Janeiro. Se souber onde posso encontrá-lo, mesmo em outro estado, por favor, envie-me um e-mail.
    Atenciosamente,
    Cristina

  • Pingback: Salentein Malbec Roble 2003 » at QVinho - Vinhos e Gastronomia

  • Pingback: Trapiche Fond de Cave Bonarda 2004 » at QVinho - Vinhos e Gastronomia

  • http://www.qvinho.com.br Jackson

    Cara Adriana,

    De modo geral os vinhos reserva costumam ser versões de maior qualidade das linhas de entrada das vinícolas. Tradicionalmente utilizam lotes de uvas selecionadas ou estagiam um determinado tempo em barricas de carvalho. Em alguns casos, principalmente em países europeus, a legislação define os critérios para que o vinho seja considerado um “reserva”. Na Itália, por exemplo, por lei um Barolo deve passar pelo menos 3(três) anos amadurecendo em tonéis de carvalho, ao passo que um Barolo Riserva deve estagiar pelo menos 5 (cinco) anos. O mesmo acontece com os vinhos Barbaresco, Brunello, Chianti e Amarone. Já em relação aos vinhos do Novo Mundo as legislações não costumam ser tão rigorosas nesse sentido, deixando mais a critério de cada produtor.

  • Adriana Lemos

    Olá,

    Gostaria de saber qual é a diferença de um vinho “reserva” de um vinho “comum”?