Nieto Senetiner

O bacana de conhecer regiões vitivinícolas é que sempre podemos aprender algo diferente. Em Mendoza, tradição e modernidade caminham juntas. Não é difícil encontrarmos empreendimentos jovens, principalmente na região de Tupungato, que transpiram modernidade ao melhor estilo Napa Valley. Ao mesmo tempo, também nos deparamos com bodegas centenárias com seus prédios coloniais encantadores. É o caso da Bodegas Nieto Senetiner com uma história que remonta o ano de 1888, quando os imigrantes italianos plantaram os primeiros vinhedos em Vistalba. Durante décadas a bodega passou por diferentes famílias, e em 1969, chegou nas mãos da família Nieto Senetiner. Anos mais tarde, mais precisamente em 1998, a bodega foi adquirida pelo Grupo Pérez Companc, uma das famílias mais ricas e poderosas da Argentina (como a família do Ermírio de Moraes aqui no Brasil).

Atualmente a Nieto Senetiner conta com 352 ha de vinhedos próprios localizados em Agrelo, Vistalba e Alto Agrelo. Da região de Tupungato compram as uvas brancas Chardonnay e Viognier. A produção de vinhos engloba desde a linha básica Benjamin, espumantes Blanc de Noirs como o Nieto Senetiner Extra Brut, até os rótulos premium como o Cadus e o Bonarda. Aliás, a Bonarda, um patinho feio que geralmente produz vinhos ordinários, é uma das estrelas da bodega. Para tanto a Nieto dedica uma atenção especial a essa uva; principalmente no manejo das vinhas, de modo a controlar a tendência natural dessa cepa de alta produção. Tudo isso é fundamental para se obter uma alta qualidade necessária para rotular, em edição limitada, um dos seus vinhos mais prestigiados. Acompanhados pelo Engenheiro Agrônomo Ricardo Carretero e pelo enólogo Roberto González conhecemos as instalações da vinícola, localizada na região de Vistalba.

Um belo e frondoso carvalho faz as honras logo na entrega da casa de recepção dos turistas, onde fizemos uma entrevista com González e degustamos os principais vinhos da casa. Porém, antes fomos conhecer alguns dos vinhedos que cercam a bodega (20 ha), entre eles uma parcela de Syrah e Cabernet Sauvignon plantada pelo sistema de parreira (também conhecido como latada), muito comum em vinhedos mais antigos de Mendoza. Outra curiosidade, como a construção é histórica, foram mantidas as cubas em cimento e epoxi para a fermentação dos vinhos (claro, devidamente adaptadas com serpentinas para o controle de temperatura). Tudo impecavelmente limpo e organizado.

Don Nicanor Chardonnay – Viognier 2008 (R$62)

Como o nome diz, um corte de 60% Chardonnay e 40% Viognier com uma bela cor amarelo ouro. Nariz intenso e frutado, com um destaque aromático marcante da Viognier. Toque especiado de baunilha dado pela passagem na madeira (Chardonnay). Assim como notas de pêssegos e flores. Ao mesmo tempo é leve e fresco, final de boca não muito longo.

Nieto Senetiner Malbec Reserva 2007 (R$35)

A linha Nieto Senetiner compreende os vinhos varietais reserva com passagem de 12 meses em carvalho francês. Proveniente de vinhedos com mais de 40 anos esse rótulo revela um Malbec com ótima a expressão de fruta. Bouquet intenso de frutas negras como ameixas marcadas com um leve toque de baunilha. Na boca taninos aveludados e equilíbrio; final persistente e frutado. Um vinho muito fácil de beber com uma excelente relação qualidade/preço.

Nieto Senetiner Cabernet Sauvignon 2007 (R$35)

Um exemplar muito gostoso de Cabernet Sauvignon, também com estágio de 12 meses em barricas. Notas tostadas e especiadas muito bem mescladas com a fruta. Na boca mostra a força da Cabernet Sauvignon, com boa estrutura tânica.

Don Nicanor Cabernet Sauvignon 2007 (R$62)

Na linha de vinhos que homenageia um dos fundadores da vinícola, esse Cabernet faz jus ao rótulo. Ainda jovem, o nariz exala notas tostadas do estágio prolongado no carvalho francês (18 meses), porém sem tirar o brilho dos aromas de amoras, cassis e couro. Boa estrutura na boca, com um final persistente e muito agradável.

Don Nicanor Malbec 2007 (R$62)

Já nos primeiros contatos o Don Nicanor Malbec é uma explosão de aromas; tudo que essa uva pode oferecer de melhor. Notas que lembram violetas, ameixas e cerejas. Perfeito na boca, taninos aveludados com ótimo equilíbrio. Final prolongado e delicioso. Pode evoluir muito bem com mais alguns anos na garrafa.

Don Nicanor Blend 2007 (R$62)

Um delicioso corte de Malbec, Cabernet e Merlot cheio de nuances e complexidade, talvez o melhor vinho da linha Don Nicanor. Bouquet intenso, carregado de frutas negras e especiarias, mesclados a um leve floral. Concentrado, o Nicanor Blend mostrou taninos finos e um final seco e caloroso.

Bonarda 2007 (R$100)

Um vinho de edição limitada. O Bonarda assim como os demais rótulos da linha Nicanor apresentou intensa cor púrpura com pouca transparência. Apesar do tempo no decanter, o bouquet estava um pouco tímido, mas, ainda sim mostrou elegância. Destaque para as aroma de uvas passificadas, notas minerais e balsâmicas. Embora jovem, na boca também estava gostoso. Talvez precise de mais tempo para mostrar o seu potencial.

Cadus Malbec 2005 (R$160)

Um dos rótulos premium da Nieto, o Cadus representa a máxima expressão da varietal no seu terreno. O vinho descansa 2 anos em carvalho, onde são utilizadas 4 a 5 toneladas/hectare de uvas de um lote específico de Agrelo, ou seja, um single vineyard. O Cadus Malbec revelou um nariz muito intenso e completamente distinto dos demais. Notas complexas de minerais, grafite e violetas. Uma fruta madura nítida, mas sem ser doce demais no nariz. Vigoroso, taninos já macios e um final de boca longo e alcoólico! Na linha dos vinhos tops argentinos o Cadus apresenta uma das melhores relações qualidade/preço. Sua produção hoje está entre 2 a 3,5 mil caixas.

Importação: Porto a Porto / Casa Flora

Visitas:

A Nieto Senetiner está localizada na Rua Guardia Vieja, em Vistalba, Luján de Cuyo, que fica muito próximo de centro de Mendoza. Embora a programação de visitas seja um pouco limitada, sem opções de almoço ou jantar na bodega; a região é belíssima e vale o passeio. Para chegar lá é muito fácil, veja o mapa da região. Quem estiver em Buenos Aires a dica é conhecer a Casa Nieto Senetiner, um espaço de muito bom gosto destinado à degustações, cursos e treinamentos. Para maiores informações contate: amantesdelvino[arroba]nietosenetiner[ponto]com[ponto]ar

* * *

Este post faz parte da série On the Road 2009. Clique aqui |+| para ler mais artigos sobre o Chile e a Argentina. Clique aqui |+| para ler sobre outras viagens dos editores.

  • Pingback: Novidades da Nieto Senetiner

  • fabio

    olá.estou saboreando o chardonnay/viognier com frutos do mar. um branco licoroso na parede da taça que faz bem aos olhos pelo seu tom amarelo e à alma, principalmente se estiver em cia de um prato com frutos do mar.
    detalhe: em buenos aires, paguei somente 17 dolares pela preciosidade.

  • Rapanelli

    Estive na Bodega Nieto Senetiner em Setembro de 2009 , onde passei uma tarde apreciando os Cadus e os Don Nicanor. Realmente o Cadus é uma surpresa agradabilíssima para quem aprecia vinhos. Recomendo a todos que forem a Mendoza, não deixem de incluir em seus tours de bodegas, a Nieto,principalmente se forem recepcionados pela Mariana.

  • Elielson José Dias

    tomei o Don Nicanor cabernet sauvignon 2007. Não é lá um grande vinho. Porém, é fiel ao que se propõe e não deixa nada a desejar, se comparado aos vinhos nacionais de mesmo valor. Destaco o toque inicial de frutas vermelhas com leve sabor de madeira e baunilha. Recomendo!

  • natalia

    gostaria de saber qual sua opinião sobre o nieto brut nature. vi uma promoção muito bacana na garrafa e gostaria de saber se vale a pena! é para uma festa grande…. obrigada

  • Pingback: On The Road 2009: Nieto Senetiner| Casa Flora

  • Marcelo Pereira

    Tive o enorme prazer de tomar um cadus branco,simplesmente melhor que qualquer chassagne montrachet que tomei!!!
    Um vinho que realmente me surpreendeu!!
    Eu indico como um dos melhores vinhos que tomei!!

  • http://winepersonal.blogspot.com/ Gerosn

    Parabéns…muito bonito lugar…e o vinhos claro.