Terrazas de Los Andes Afincado Tardio Petit Manseng

Terrazas de Los Andes Afincado Tardio Petit MansengSempre tive os vinhos varietais da Terrazas, linhas Malbec, Cabernet Sauvignon e Chardonnay, tanto da série Reserva e Afincado, como muito confiáveis e de ótima qualidade. Porém, quando recebi o convite para a apresentação do mais novo lançamento da bodega: o Afincado Tardio Petit Manseng 2004, confesso que fiquei curioso. Um vinho branco argentino, doce (colheita tardia), e ainda por cima elaborado a partir de uma uva chamada Petit Manseng. Petit Manseng!? É de causar estranheza, pelo menos para maioria das pessoas; para mim não foi uma completa surpresa, uma vez que na entrevista que concedeu ano passado para o QVinho, o Manuel Louzada comentou sobre o projeto da Petit Manseng para a elaboração de colheitas tardias. Até mesmo na França essa uva é pouco conhecida quando comparada a Sauvignon Blanc, a Sémillon e a Chenin Blanc. E, para completar, o vinho chega em setembro custando R$130 (375ml)!? De todo modo, durante o almoço realizado no último dia 24, no restaurante Piselli, que contou com a participação do enólogo Manuel Louzada, pude provar o tão aguardado Afincado Tardio. É pessoal, mais uma vez a Terrazas comprova que somente seus melhores vinhos ostentam o rótulo Afincado. O Petit Manseng 2004 realmente estava ótimo. Bela cor amarelo ouro; bouquet muito intenso e complexo lembrando frutas tropicais maduras como a manga, mescladas com um toque de mel e flores brancas. Volumoso na boca, com um ótimo equilíbrio entre a acidez e a doçura (87,5 gr/l), mas sem perder o frescor e leveza. Mais um belo trabalho do Manuel Louzada.

A Petit Manseng, originária do sudoeste da França na Apelação de Jurançon, na zona dos Pirineus, é uma variedade muito adequada para a elaboração de vinhos doces, graças a sua alta concentração de açúcar, mas que ao mesmo tempo, consegue manter ótimos níveis de acidez – o que garante equilíbrio e frescor a um vinho deste tipo.

Manuel Louzada da Terrazas de los Andes

Além da França já tinha ouvido falar de um caso bem sucedido na região da Estremadura (Portugal), o Casal Figueira Petit Manseng, também de colheita tardia. Segundo a bodega, o Afincado Tardio é o único vinho late harvest produzido com a variedade de uva Petit Manseng na Argentina. A casta foi introduzida pela Bodega Terrazas no ano de 2000, na fria e alta região do Vale do Uco, em Mendoza, numa área que ocupa aproximadamente 4 hectares.

A Petit Manseng é uma variedade de baixo rendimento, que possui uma casca grossa e um um ciclo de maturação muito prolongado. Para você ter uma idéia, a Manseng foi a última uva que colhemos, isso em fins de abril. Mas a adaptação dessa varietal na Finca El Yaima, no Vale do Uco foi fantástica, explica Manuel Louzada diretor de enologia da Terrazas.

  • http://www.fiorditalia@fiorditalia.com.br Jeozadak Gomes

    Terrazas de Los Andes é uma vinícola de muito prestígio e fico muito feliz em ter provado alguns dos exemplares desta grande e extraordinária vinícola.Seus responsáveis trabalham com respeito ao seu terroir,ultilizando o que tem de melhor nos platôs em torno de mil metros acima do nível do mar,possibilitando obtêr uma maturação correta dos frutos com o frio das noites sobrepondo o calor de possíveis dias quentes.A referencia da vinícola pra mim é o “Malbec Reserva 2006″.

  • maria

    O Antonio do casal da Ribeira e produtor do vinho de que aqui se fala “Casal Figueira Petit Manseng,! faleceu ontem enquanto realizava o seu sonho/projecto que era a feitura do seu vinho.

  • Fernando Audibert

    Alguém já provou os vinhos brancos da Vinícola Salvati & Sirena, de Bento Gonçalves?
    Uma ótima surpresa para apreciadores e buscadores de vinhos inusitados, aquelas cantinas e vinícolas que com recursos limitados fazem nascer vinhos inesperados.
    Dica: sem dúvida o aromático Goethe.

  • http://www.fiorditalia.com.br Jeozadak (sommelier)

    Entre os vinhos de colheita tardia que já apreciei,o afincado 2004 foi uma oportunidade única,com toques frutados intensos que realmente inprecionou.

  • lucas

    Já tive a oportunidae de provar este vinho, foi durante uma degustação de vinhos argetinos, todos de 2006… dentre o syrah, C.S, chardonnay, torrontès e petit manseng.

    fico com o bom torrontès, mas o astro daquela degustação foi o afincado tardio, indubitávelmente.

  • Jackson

    Rodrigo, é difícil fazer prognósticos quanto a evolução de um vinho. Acho complicado apostar todas as fichas numa única garrafa e ficar aguardando ansiosamente pelo seu suposto ápice. Prefiro acompanhar a evolução abrindo todo ano uma garrafa, assim você verá momentos distintos do vinho.

    O Terrazas Malbec 2005 já está muito bom para se beber hoje, da mesma forma que grande parte dos vinhos argentinos. Talvez o Afincado necessite de um pouco mais de tempo.

    Segundo o enólogo Manuel Louzada, a safra 2008 foi excepcional, mas ainda não sei para quando está programado o lançamento no mercado. O negócio é aguardar.

    Abraço

  • Rodrigo

    Boa noite a todos,

    desculpem reiniciar esta conversa depois de tantos meses, mas é que eu gostaria de uma dica de quando será melhor abrir um Terrazas Malbec 2005.
    Li neste site que ele tem bom potencial de guarda.

    Outra pergunta é quando chegarão aqui no brasil os da safra de 2008 que também li aqui que será bem promissora.

    Abs.

  • Gustavo

    Vinhos da Terrazas e a comida do Piselli… passou bem Jackson! Estou a minha garrafa de Afincado malbec 2004 na adega, acho que vou esperar mais antes de abrir.

    abraço

  • Pingback: Almoço promove lançamentos da Terrazas de Los Andes | QVinho - Blog de vinhos, gastronomia e espresso

  • Ana Paula

    Gosto de vinhos mais docinhos para acompanhar uma sobremesa, mas até hoje nunca tomei um vinho dessa categoria. Vou fazer algumas economias, quem sabe….

  • http://www.qvinho.com.br Jackson

    Olá Alexandre e Juliana,

    Para um rótulo da América do Sul o Afincado Tardio não é um vinho barato. Nessa faixa de preço você encontra fortes concorrentes de outras regiões, cada um com seu estilo e atrativos. Da clássica região de Sauternes uma ótima opção é o Chateau de Cantegril (R$135) do professor Denis Dubourdieu. Da Domaine Baumard (França), que provei esses tempos, recomendo o Coteaux du Layon Carte d´Or (R$66), ou Viña Montes (Chile) Colheita Tardia Gewürztraminer – 1/2 gf (R$50).

    A verdade é que abaixo dos R$40 não é muito fácil comprar bons brancos doces. É muito comum encontrar vinhos mais ordinários, geralmente flats. Ou seja, não conseguem equilibrar a doçura com uma boa acidez. Esse grave defeito talvez passe desapercebido para um consumidor iniciante, mas para alguém mais familiarizado torna a degustação insuportável.

    Sou da opinião que se não for para beber um vinho branco doce, no mínimo razoável, é melhor partir de uma vez para os brancos secos. Aí sim encontramos ótimos vinhos abaixo dos R$40.

  • http://garciasales.com/ Juliana Garcia Sales

    Eu aceito o desafio gastronômico!

  • http://www.diariodebaco.com.br Alexandre

    Oi Jackson…

    Acho muito interessante os vinhos de colheita tardia. É um tipo de vinho que ainda estou conhecendo e a cada dia me surpreede mais pela delicadeza e complexidade aromática.

    Esse Terrazas com certeza é top, mas você tem dicas boas de opções mais acessíveis para nós pobres brasileiros (mortais)?
    ;o)

    abs!
    Alexandre