WofA 2010: Bodega Goyenechea

Fundada em 1868 pelos irmãos Santiago e Narciso Goyenechea, a bodega é uma das mais antigas da Argentina. A Goyenechea foi construída no ano de 1905, em Villa Atuel, no departamento de San Rafael, zona sul da Província de Mendoza. Em 1998, a quinta geração da família assumiu a empresa, que conta com 140 ha de vinhedos e produz cerca de 2 milhões de garrafas, sendo que 25% é exportado para mercados como Alemanha, UK, Canada e Brasil. Boa parte dos vinhos da Goyenechea não passam por madeira; são frescos, tem boa acidez e um ótimo potencial gastronômico. Segundo um dos diretores, José Luis Goyenechea, a ideia é fazer vinhos elegantes e femininos que sejam fáceis de beber e harmonizar com a comida. É por isso que o teor de álcool de seus vinhos também não é exagerado; mesmo na linha top “Quinta Generacion”, o percentual não passa de 13,5%.

Goyenechea Chardonnay 2009 (16 pesos)

Sem passagem por barrica é um bom exemplo de um branco jovem e fresco. Nariz de boa intensidade, marcado principalmente por frutas de polpa branca. Acidez equilibrada e boa presença de boca.

Goyenechea Reserva Cabernet Sauvigon 2008

Proveniente de vinhedos com mais de 30 anos localizados em Villa Atuel, o vinho leva em sua composição 20% de Merlot. Sem estagio em madeira, esse Cabernet mostrou um aroma agradável com fruta madura na medida certa. Um vinho jovem, leve e muito fácil de beber, dá para entender porque é o rótulo mais vendido da bodega.

Goyenechea Centenário Malbec 2007 (28 pesos)

Já no Centenário Malbec, 50% do vinho passou 12 meses em barricas de carvalho francês. Nariz gostoso com boa presença de frutas e bem integrado com a madeira. Na boca tem corpo médio e taninos maduros. Um vinho redondo, gostoso de beber e com ótima relação qualidade/preço.

Goyenechea Quinta Generación Malbec 2006 (60 pesos)

A linha premium Quinta Generacion contempla os varietais Cabernet Sauvignon e Malbec. Sendo este último produzido a partir de vinhedos com mais de 70 anos situados em Villa Atuel, em San Rafael. O vinho descansa 18 meses em barricas francesas de primeiro e segundo uso, e mais 3 anos em garrafas antes de chegar ao mercado. Bela cor rubi com certa transparência; aroma de frutas negras maduras e notas baunilha. Boa estrutura e taninos de qualidade. Final persistente e equilibrado; fácil de combinar com inúmeros pratos. Um vinho gostoso hoje, mas que pode aguentar mais alguns anos.

Importadora: Blumimpex

* * *

Este post faz parte da série Wines of Argentina 2010 (WofA). Clique aqui |+| para ler mais. Para ler sobre outras viagens dos editores pela Argentina, clique aqui |+|.