WofA 2010: Bodega Universo Austral

A vinícola Universo Austral é uma operação em terras patagônicas do VC Family Estates que possui cerca de 1.500 Ha de vinhedos em regiões do Chile como Valle de Aconcágua, Maipo, Alto Cachapoal, Colchagua e Bío-Bío. Localizada na localidade de Añelo, na Província de Neuquén, a Universo Austral, também possui outros vinhedos que estão localizados em San Patrício Del Chañar e Río Negro. O chileno Pablo Herrera, responde pela enologia, além de contar com o suporte de dois enólogos franceses que trabalham em outras operações do grupo: Pascal Marchand e Patrick Piuze.

Em 2009, a bodega produziu 66 mil caixas, e já ocupa o 3º lugar em volume de exportações dos vinhos da Patagônia. Apesar de jovem, a Universo Austral – assim com os demais empreendimentos vizinhos de Neuquén– está começando a apreender como explorar com maior êxito o potencial dos varietais em distintos terrenos e microclimas. As práticas a base de tentativa e erro, bem ao estilo dos vitivinicultores de antigamente, vai dando lugar à tecnologia. Hoje os engenheiros agrônomos e os enólogos possuem um conhecimento muito mais apurado, tanto em relação ao plantio e desenvolvimento dos mais variados tipos de castas, quanto à produção do vinho. Não é de estranhar que até mesmo em jovens empreendimentos os vinhos já estejam tão interessantes.

Durante a degustação realizada com os rótulos das linhas dirigidas à exportação (Chaltén e Koock) pudemos conhecer como os diferentes terrenos como o de Añelo, San Patricio Del Chañar e Río Negro são capazes de produzir vinhos bem distintos. O Chaltén Malbec, por exemplo, produzido de uma mescla de vinhedos jovens de San Patricio e Añelo é muito diferente da profundidade e complexidade do Koock Malbec produzido unicamente a partir de vinhedos velhos de Río Negro. De acordo com Pablo Herrera, enólogo da Universo Austral, a busca por maior complexidade e equilíbrio é realizada a partir de um corte com as uvas de diferentes vinhedos. “Em nossos vinhedos de San Patricio Del Chañar o microclima favorece uma maior incidência solar, que resulta em uvas com uma pele mais grossa e vinhos mais volumosos e longos; ao passo que em Añelo, obtemos vinhos mais frescos, porém menos estruturados”. Isso tudo pode parecer um pouco exagerado, mas quando provamos lado a lado dois Chardonnay da safra 2010 (que em breve estarão chegando ao mercado), de distintos vinhedos, isso ficou bem claro. Enquanto o Chardonnay Añelo 2010 apresentou um nariz cítrico e fresco, bem leve e fácil de beber; o Chardonnay San Patricio del Chañar 2010 mostrou um aroma delicado marcado por frutas tropicais e mais volume na boca.

Chaltén Chardonnay Reserva 2009 – (40 pesos)

Nariz agradável de boa intensidade, notas de pêssego e mel. Na boca é um vinho fresco, com um certo volume e um final duradouro. Um vinho bem refrescante sem passagem por carvalho, feito para ser consumido jovem.

Chaltén Pinot Noir Reserva 2008 – (40 pesos)

Com uma passagem de 6 meses por barricas (apenas 10% do vinho), esse Pinot Noir Reserva consegue aliar riqueza de frutas e frescor com uma boa estrutura de boca. Aroma direto e intenso de frutas vermelhas maduras com um leve toque especiado; Boa estrutura, com taninos redondos e doces. O final é persistente e bem equilibrado com o álcool. Um Pinot Noir frutado e perfeito para beber hoje.

Chaltén Pinot Noir Gran Reserva 2008 – (80 pesos)

Na linha Gran Reserva 100% do vinho estagia por 6 meses em barricas de carvalho. O bouquet já entrega uma boa complexidade, mesclando aromas de cerejas e amoras negras, com um leve tostado e especiarias. Na boca é volumoso, taninos presentes e de boa qualidade. No final se percebe um agradável fundo mineral.

Koock Pinot Noir Collection Río Negro 2008 – (140 pesos)

A cor rubi muito brilhante com transparência e menos matéria corante denuncia que estamos diante de um vinho diferente dos rótulos anteriores. Com uma passagem suave de 4 meses por barricas de carvalho a proposta desse vinho é exprimir o terroir do Vale de Río Negro, onde estão plantados os vinhedos de Pinot Noir de mais de 60 anos de idade. Nariz elegante com um perfume delicado de frutas vermelhas maduras, especiarias e um leve fundo mineral; bem integrado com a madeira. Na boca é elegante e equilibrado; taninos de textura fina e relativamente macios. Um Pinot Noir de estilo clássico, com um final longo e saboroso.

Chaltén Malbec Reserva 2008 – (40 pesos)

Cor violácea muito densa, com pouca margem para transparência. No nariz é cheio de frutas maduras como amoras e framboesas, a madeira é praticamente imperceptível já que somente 10% do vinho passou por carvalho. Leve e fresco, um Malbec para ser bebido jovem.

Chaltén Malbec Gran Reserva 2008 – (80 pesos)

Bouquet exuberante de frutas negras, notas minerais e especiarias provenientes do estagio no carvalho; tudo bem equilibrado. Na boca mostrou vigor e densidade, taninos firmes e acidez bem marcada. Um Malbec potente, de final longo e caloroso que pode melhorar com mais alguns anos na garrafa.

Koock Malbec Collection Río Negro 2008 – (140 pesos)

Dos vinhedos velhos do Alto Vale do Río Negro também é produzido o Koock Malbec que descansa 10 meses em barricas de carvalho francês. Aroma muito perfumado de ameixas e cerejas negras confitadas, mesclado com um tostado e algumas notas minerais. O Koock Malbec consegue equilibrar bem a estrutura firme com elegância; taninos muito finos, boa acidez e um final prolongado. Um Malbec de personalidade feminina com ótimo potencial gastronômico; pode ganhar complexidade com mais alguns anos de adega.

A Bodega Universo Austral está localizada em Añelo, província de Neuquén. Para visualizar a localização exata consulte o mapa Bodegas Patagônia

* * *

Este post faz parte da série Wines of Argentina 2010 (WofA). Clique aqui |+| para ler mais. Para ler sobre outras viagens dos editores pela Argentina, clique aqui |+|.