Yacochuya 2004

Yacochuya, o vinho top da bodega San Pedro de Yachochuya, é um daqueles casos típicos de amor ou ódio. Em conversas com amigos, já ouvi as mais diversas impressões sobre o vinho. Muitos simplesmente adoram; já outros, abominam esse estilo “pesadão”. O fato é que a polêmica aparece ainda mais forte nos projetos que levam o nome de Michel Rolland. E, diga-se de passagem, neste caso não é apenas mais um trabalho de consultoria do Francês, mas de sociedade no negócio. Sem falar que essa história ganha contornos ainda mais polêmicos com a participação do ilustre amigo de Rolland, o crítico de vinhos Robert Parker. Sim, Parker foi fundamental para projetar os vinhos da Yacochuya internacionalmente, com pontuações não inferiores a 91 pontos. Para o Yacochuya 2004, por exemplo, foram 95 pontos.

Contudo, não existe nada melhor do que cada um tirar as suas próprias conclusões, e foi exatamente o que resolvi fazer. Ainda não tinha provado nenhum rótulo dessa vinícola, e para falar a verdade, não tinha grandes expectativas em relação ao Yacochuya Malbec. Mas quer saber, eu estava enganado. Embora muitas pessoas não gostem desse estilo opulento, o Yacochuya tem muitos predicados, e sem dúvida faz jus as avaliações positivas que recebeu. Ok, parece que mais uma vez Parker estava certo (leiam o post sobre a polêmica em torno do Château Pavie).

Após a venda da vinícola para o grupo Pernod Ricard, em 1996, a familia Etchart resolve empreeender um novo projeto em San Pedro de Yacochuya, em pleno Vale de Calchaquíes, Salta. Desta vez com a participação na sociedade dos enólogos Dany e Michel Rolland, que desde 1988, conheciam a região e assessoravam a Bodega Etchart. A San Pedro de Yacochuya está localizada a uma altitude de mais de 2.000 metros, e conta com 16 Ha de vinhedos e uma pequena bodega com capacidade de produzir 90 mil litros. Dentre os vinhos, San Pedro de Yacochuya tinto (corte de Malbec e Cabernet Sauvignon) e Torrontés, além do vinho premium da bodega, o Yacochuya Malbec, produzido com uvas de vinhedos com mais de 60 anos de idade.

Para a prova do Yacochuya Malbec 2004 foram pelo menos 3 horas de decanter, e temperatura controlada (não seria nada agradável provar o vinho com 16% de álcool com a temperatura elevada). Na taça um vinho superconcentrado, negro e com muita matéria corante. Bouquet intenso e frutado, ameixas e cerejas, marcado por especiarias doces e notas licorosas. A madeira já parece estar bem integrada no conjunto. Na boca é um vinho que mostra muita estrutura e potência, com uma textura viscosa, taninos finos e aveludados. Embora o nível de álcool seja alto, o resultado final é muito agradável. O vinho é bem balanceado, com um final delicioso, muito longo e seco. Gostoso para beber hoje, o Yacochuya 2004 pode aguentar muito bem mais 5 ou 8 anos na adega.


Um Malbec opulento, ao estilo do Porto, que deve agradar muito os fãs de vinhos potentes.
Grad. Alcoólica: 16%
Importação: Grand Cru
Preço: R$230

  • eduardo Mederdrut

    bom sou fanatico do yacoachuya desde 2003 quando visitei os vinhedos em Cafayate, se conhecerem o lugar vao poder dizer que, nesse contexto, nessa maravilhosa paisagem, so pode crescer vid extraordinaria, ya bebi, 2003,2004,2005, e cada vez gosto mais desse vinho, sei que os especialistas decantam ele durante muitas horas, mas como nao tenho paciencia, uso o arejador italiano, e decanto 20 minutos mantendo ele frio, bebo obrigatoriamente na taca maior que tenho, pois o sabor se intensifica pelo nariz, é sem duvidas um dos melhores malbec que ya bebi, so me resta experimentar um Cobos, mas ja tenho um na adega!!! Um primo meu, ficou 20 minutos somente apreciando o cheiro do vinho e descubrindo os sabores que ia experimentar depois, e foi enfatico, isto é um chocolate em forma de vinho com um monte de especiarias junto!!!

  • Marcelo

    ontem provei um yacochuia 2005 malbec 16,2 % alcool… meo Deus… bebida de cristo só pode, bom demais

  • Rafael Ribeiro

    Degusto este vinho sempre, o conjunto de aroma e retrogosto deste vinho Sao marcas de alto valor, para mim o vinho é muito bom.

  • Carlos Stoever

    Provei este vinho ontem (06/08/11), e estava tal como na descrição – com o acréscimo de algumas notas de CAFÉ TORRADO…

    Um vinho realmente potente…

    Juntamente, provamos um Mas La Plana, cabernet espanhol que dispensa comentários, e que se demonstrou bem mais equilibrado…

    Estilos diferentes de dois grandes vinhos!

    Excelente post, parabéns!

  • Patrycia Coelho

    Esse vinho é realmente sensacional! e o post muito bem escrito. Parabéns!

  • http://www.vivendoavida.net silvestre

    Tive a oportunidade de degustar várias safras deste vinho na mesma noite. Bom, a safra 2004 foi destaque, explodido em aromas e mostrando grande corpo. Unanimidade em um grupo de 15 pessoas.

    Abraço!