Mitolo Jester Shiraz 2005

Vinho australiano Mitolo Jester 2005É sempre bom falar de vinho australiano. Acredito que em poucos lugares do mundo (com exceção dos Estados Unidos) os produtores ousaram tanto. Avanços importantes surgiram e continuarão surgindo na Austrália. Sempre digo que existem duas Austrálias, aquela dos vinhos produzidos em série — quase como refrigerantes — e a Austrália dos grandes vinhos. A Mitolo Wines encontra-se na segunda categoria. Quem tiver a curiosidade de acessar o site da Mitolo, poderá conferir logo na primeira página a filosofia desse produtor: Pureza, elegância e poder. Não posso deixar de comentar sobre esse excelente site, muito elegante, com dados precisos, texto bem escrito e, o principal, sem tentar enganar o leitor com balelas e informações inúteis (coisa rara hoje em dia). O Mitolo Jester Shiraz faz parte da linha de frente desta jovem vinícola (fundada em 1999), que não tem vergonha de afirmar que está “apenas começando a sua jornada”. Pois bem, espero que continuem fazendo bons vinhos, porque o basicão Jester Shiraz já é um belo caldo. Esse Shiraz produzido em McLaren Vale passou 9 meses em barricas francesas de segunda mão; é menos encorpado do que imaginava e possui um excelente frescor. Cor rubi escura, sem sinais de evolução e com pouca transparência. Nariz com boa intensidade, com frutas vermelhas, amoras, especiarias e um toque herbáceo que lembra anis. Corpo generoso, taninos de ótima qualidade, porém ainda não totalmente amaciados; acidez muito agradável. Final seco e persistente, nada daquela sensação xaroposa e artificial dos maus australianos. O Mitolo Jester Shiraz é um excelente exemplo que a oposição Novo Mundo x Velho Mundo tem cada vez menos sentido.

Excelente
Shiraz muito agradável e equilibrado. Faz bonito a mesa, combina bem com vários tipos de prato, mas principalmente carnes fortes e caça.

Grad.Alcoólica: 14,5%
Importadora: Porto a Porto / Casa Flora
Preço: R$80

  • http://vanillagifts.com.br/vinhos Luis Henrique

    Gostaria de complementar o artigo acima comentando sobre outro rótulo da Mitolo que tive o prazer de receber de presente, o Sérpico Cabernet Sauvignon, realmente Fantástico.

  • http://www.vinhoegastronomiabyajs.com/ Abrao Jose

    Parabens pelo QVinho
    os artigos e os comentários sobre o mundo do vinho, são ótimos, principalmente para uim enófilo iniciante como eu.
    Um abraço

  • http://www.avaliadordevinhos.blogspot.com/ Laércio

    Gostaria de fazer um convite para os amigos conhecerem o blog Avaliador de Vinhos (http://www.avaliadordevinhos.blogspot.com/). Não chega a ser um Qvinho, mas dá a contribuição dele.

  • http://www.qvinho.com.br Jomar

    Rodrigo, hoje em dia fala-se muito sobre teor alcoólico. Há não muito tempo atrás, quando um vinho passava de 13 graus, o seu produtor ficava feliz e contente com a excelente maturação das uvas. Hoje é motivo de preocupação, uma vez que frequentemente ultrapassam a barreira dos 14,5, prejudicando o equilíbrio final da bebida. O vinho atual é mais alcoólico porque a maioria das regiões ficou mais quente. Em Bordeaux estão todos felizes, já na Austrália a coisa pode ficar quente demais. Só para você ter uma idéia, muitos australianos atingem fácil a marca de 16 graus, sendo posteriormente submetidos ao Cone Giratório para “perderem” esse álcool. O vinho é um produto intimamente associado a evolução climática e cultural. O conceito de “bom vinho” muda conforme a cronologia do tempo. O momento atual é favorável para os vinhos de clima frio, porque os críticos estão se cansando dos vinhos de uvas sobremaduras.

  • rodrigo leme

    Caros editores
    Ainda não tive oportunidade de conhecer os bons
    vinhos australianos, não conheço O Mitolo J S 2005, degustado
    por voces.
    A minha dúvida se refere ao teor alcóolico elevado do vinho, 14,5% não
    denota um desequilíbrio do mesmo, tornando-o muito encorpado e
    exigindo uma acidez também elevada? Não seria melhor o teor alcoolico
    permanecer nos 12,5% ?
    Atenciosamente
    rodrigo