Erasmo 2006 – Viña La Reserva Caliboro

Quem realmente gosta de vinhos adora descobrir novos aromas e sabores. Com o tempo, um degustador mais experiente pode sentir-se entediado com as mesmice de muitos vinhos – o que não é raro acontecer – e como consequência, passa a subestimar vinhos de certas regiões ou faixas de preço. Procuro não cair nessas armadilhas, e prefiro estar aberto as novidades, ainda que o número de decepções seja grande. É sempre estimulante quando provamos um vinho e somos surpreendidos com resultados fabulosos, não é mesmo? O Erasmo 2006 da Viña La Reserva Caliboro foi uma dessas boas surpresas. Um vinho muito bem feito e gostoso de beber.

A Viña La Reserva Caliboro é resultado de um projeto dos italianos Francesco Marone Cinzano e Maurizio Castelli. A família Cinzano, mundialmente conhecida pelo seu Vermuth, sempre manteve seus laços com o mundo do vinho. Embora a família tenha vendido a empresa em 1929, seus herdeiros mantiveram a tradição de trabalhar com o vinho. Os investimentos de Francesco no Chile são recentes, datam o final dos anos 90, mas Cinzano está na direção da vinícola toscana Col D´Orcia, na região de Brunello di Montalcino, que produz vinhos muitos prestigiados como o Poggio Al Vento e o Supertoscano Olmaia. A aposta de Francesco foi no Vale de Maule, e em 1997 plantou uma área de 37ha, após um rigoroso trabalho de seleção de clones franceses que iniciou em 1994. Por enquanto a Viña La Reserva Caliboro é uma vinícola de um único vinho, o Erasmo.

O Erasmo 2006 é produzido a partir de um corte de 60% Cabernet Sauvignon, 30% Merlot e 10% Cabernet Franc provenientes de um single vineyard, chamado Caliboro, no Vale de Maule. Bela cor rubi com certa transparência, sem exageros de extração. Nariz intenso e delicioso, nada que lembre o doce dos sucos de carvalho de muitos blockbusters. Ao primeiro contato um aroma de cedro, seguido por uma frutuosidade encantadora; notas de cerejas e amoras frescas, mescladas com pimentão, mentol, e algo lembrando especiarias. Na boca tem uma boa pegada, mas ao mesmo tempo mostra equilíbrio. Seus taninos são firmes e de excelente qualidade; um vinho marcado pela boa acidez, onde o álcool acaba passando desapercebido. Fim de boca seco e duradouro.


Um corte bordalês elegante e delicioso que possui um ótimo potencial gastronômico.
Preço: R$120
Importadora: Casa do Porto
Grad.alcoólica: 14,5%