Odfjell Orzada Carignan 2004

Não é de hoje que o potencial vitivinícola do Chile e da Argentina atrai empreendedores estrangeiros – americanos, espanhóis, italianos e, principalmente, franceses. Porém, é curioso observar que, o encantamento e a paixão pelo lugar, em muitos casos, nasce antes mesmo de qualquer esboço de empreendimento. Até mesmo pessoas que nunca estiveram ligadas ao vinho, acabam cedendo ao seus encantos. Foi o caso do Noruegues Dan Odfjell, pertencente a uma tradicional família de armadores, que se apaixonou pelo Chile. Há 15 anos, Odfjell comprou uma área no Vale do Maipo, sua ideia inicial era plantar arvores frutíferas, mas não demorou muito para que ele visualizasse o potencial do terreno para as vinhas; dai foi um passo para construir uma vinícola. O suporte técnico vem de renomados enólogos como o californiano Paul Hobbs, e o francês Arnaud Hereu. Hoje, com aproximadamente 85 hectares de vinhedos, a Odfjell Vineyards conta com um portfólio amplo de vinhos nas linhas Armador, Orzada e Odfjell.

O vinho que provamos da linha Orzada utilizou 100% uvas Carignan de vinhedos velhos da região do Vale de Maule, e estagiou 14 meses numa mescla de barricas novas (41% francesas e 27% americanas) e de segundo uso (32%). Assim como a Carmenère, esquecida e menosprezada durante longos anos, a Carignan parece estar renascendo nos últimos tempos. Os bons vinhos que tem chegado ao mercado são uma prova de que ainda teremos boas surpresas com a Carignan.

Cor rubi profunda, quase sem transparência, e reflexos violáceos; ainda sem características de evolução. Seu bouquet é intenso, inicialmente destacando o aroma de baunilha, mas depois de alguns instantes, uma exuberância de fruta. Aroma de frutas negras maduras como cassis e cerejas, com um fundo floral. Na boca é estruturado, e ao contrário do que muitos poderiam esperar dessa uva, os taninos não são rústicos; o vinho é macio e gostoso de beber. A boa acidez ajuda a não deixá-lo monótono. O fim de boca é untuoso, relativamente marcado pelo carvalho, e não chega a ser dos mais longos.

Um vinho moderno e alcoólico, mas muito bem feito e gostoso de beber. Boa personalidade, sem exageros e defeitos comuns em rótulos do novo mundo.
Importadora: Word Wine
Preço: R$86
Grad. Alcoólica: 14,5%

  • Pingback: Receita: Spaghetti ao ragù de pato

  • Jorge Manoel Moreira da Rocha

    Macio, encorpado e muito equilibrado e persistente com um final redondo. No olfato destaca a madeira e frutado. Ótimo custo-beneficio.