Casa Lapostolle e Clos Apalta

Algumas semanas atrás fui advertido por um leitor que deveríamos degustar mais vinhos europeus, esses sim, segundo nosso prestativo colaborador, proporcionariam uma experiência sensorial superior. Não foi a primeira vez, nem a será a última que escuto de amigos ou mesmo de leitores do QVinho críticas ferozes aos vinhos argentinos e chilenos. Contudo, penso comigo “ainda existe muita desinformação quanto ao potencial desses vinhos”. Talvez se essas pessoas conhecessem vinhos como da Casa Lapostolle, a opinião poderia ser outra. Exatamente para saber mais sobre o trabalho que está por trás dos excepcionais vinhos da Lapostolle não podíamos deixar de incluí-la em nosso roteiro do QVinho On the Road.

A enóloga Andrea Leon explica o trabalho realizado nos vinhedos

A enóloga Andrea Leon explica o trabalho realizado nos vinhedos

A jovem vinícola chilena, fundada em 1994, numa parceria entre Alexandra Marnier Lapostolle, seu marido Cyril de Bournet e Don José Rabat Gorchs, nasceu como um projeto ambicioso para produzir vinhos de alta qualidade aliando todo know-how francês a um privilegiado terroir de Apalta, no vale de Colchagua. Hoje, 100% vinícola pertence ao grupo Marnier-Lapostolle, controlado pela família de mesmo nome, muito conhecida em todo o mundo pelo licor Grand Marnier, mas que há gerações está ligada à produção de vinhos no Vale do Loire, e atualmente, como proprietários do Chateau de Sancerre.

Para nortear os trabalhos, desde 1997, a vinícola conta com um contrato de consultoria exclusiva com Michel Rolland. Foi nesse ano, com o suporte de Rolland, que a vinícola lançou seu rótulo premium, o Clos Apalta, um blend de Carmenère, Merlot e Cabernet Sauvignon. A boa avaliação junto à crítica, que concedeu 92 pontos (Wine Spectator) para o Clos Apalta 1997 serviu de estimulo para Alexandra Marnier apostar ainda mais alto no projeto.

Clos Apalta - Casa Lapostolle

Clos Apalta – Casa Lapostolle

Em 2005, a vinícola contratou os serviços do renomado consultor e enólogo Jacques Begarie para liderar o time de especialistas. Também foi desenvolvido um estudo geológico detalhado que mapeou o desenvolvimento e a qualidade das principais parcelas dos vinhedos. E, nesse mesmo ano, foi finalizada a construção da moderna vinícola especialmente dedicada a produção do Clos Apalta. Novamente os resultados não tardaram a aparecer. As condições climáticas muito favoráveis da colheita de 2005, aliada a todo trabalho capitaneado por Alexandra foram fundamentais a produção de outro grande sucesso, o Clos Apalta 2005. Um blend de 42% Carmenère, 28% Cabernet Sauvignon, 26% Merlot e 4% Petit Verdot, que foi eleito o vinho do ano de 2008 pela revista Wine Spectator.

Cubas de fermentação - Casa Lapostolle

Cubas de fermentação – Casa Lapostolle

A Casa Lapostolle possui vinhedos em três importantes regiões do Chile que totalizam aproximadamente 370 ha. O Atalaya Vineyard, um vinhedo de alta densidade plantado em 1996 na região do Valle de Casablanca; Las Kuras em Requinoa, para a produção de Sauvignon Blanc e Cuvée Alexandre Syrah e, finalmente, Apalta Vineyards, uma área de 185 ha predominantemente de vinhas velhas (entre 50 e 80 anos), em alta densidade (5.500 plantas/hectare) e baixo rendimento, responsável pela produção do Clos Apalta.

Com a privilegiada companhia de Andrea León, enóloga da Clos Apalta, percorremos os vinhedos de Apalta e conhecemos as instalações da belíssima vinícola. Para quem visita a Clos Apalta fica claro que além da localização privilegiada dos vinhedos e de toda a tecnologia envolvida nessa nova vinícola, existem outros fatores que contribuem para que vinhos tenham um acabamento tão fino. Até mesmo nos vinhedos arrendados, o time de técnicos não abre mão de gerenciar todas as etapas, por isso trabalha somente com contratos de longo prazo (30 anos). Vale destacar o manejo biodinâmico dos vinhedos, controle das exposição dos cachos à luz, colheita e seleção manual, uso somente de leveduras selvagens na vinificação entre outros cuidados.

Clos Apalta vinho ícone da Casa Lapostolle

Clos Apalta vinho ícone da Casa Lapostolle

Na degustação técnica com os principais rótulos da casa (incluindo uma mini vertical) pudemos comprovar a excelente capacidade de evolução desses vinhos. Na linha Casa, que compõem os vinhos de entrada, encontramos vinhos brancos e tintos muito saborosos, ricos em fruta e sem artifícios; representam uma ótima relação qualidade/preço. Já na linha Cuvée Alexandre encontramos concentração com uma boa dose de elegância e complexidade; tanto o Cabernet Sauvignon 1999 quanto o Merlot 2000, estavam incrivelmente vivos. Nariz com muita complexidade e cheio de frutas negras. Na boca estrutura robusta, taninos de excepcional qualidade e muito sedosos num conjunto harmônico fantástico. A novidade para essa linha será o lançamento do Cuvée Carmenère, um single vineyard, da parcela conhecida como “La Isla” em Apalta.

Sauvignon Blanc Casa 2008 (R$ 52,58)

Vinho de entrada da Casa Lapostolle, esse delicioso e refrescante Sauvignon Blanc leva 10% de Semillon mesclando uvas dos vinhedos de Las Kuras e Apalta. Nariz de boa intensidade que remete a frutas de polpa branca, floral, notas cítricas e fundo de ervas. Estrutura agradável e equilibrada na boca, com um final persistente.

Chardonnay Cuvée Alexandre 2007 (R$ 96,58)

Um single vineyard, 100% Chardonnay, obtido a partir de uvas do vinhedo de Atalaya no Vale de Casablanca com produção limitada a 10 mil caixas. 85% do mosto é fermentado e amadurecido por 10 meses em barricas de carvalho francês (primeiro e segundo uso). Exuberante Chardonnay de cor amarelo ouro. Bouquet muito perfumado e intenso, exalando notas cítricas e florais, e no segundo plano, um leve toque de especiarias doces; tudo muito elegante, sem exageros. Na boca é encorpado, com um acidez viva e um final muito longo, com uma sensação calorosa dada pelo álcool.

Merlot Cuvée Alexandre 2000

Provamos simultaneamente a safra 2000 e 2006, podendo comparar a evolução do vinho mais velho frente ao mais recente. Esse Merlot não deixa dúvidas com relação ao potencial de guarda dos vinhos da Casa Lapostolle. Cor rubi ainda sem traços de evolução. O nariz tem boa fruta, cerejas e ameixas pretas, com muitas notas tostadas de chocolate. Na boca é harmonioso, com taninos finos e perfeitamente integrados. Ótimo final de boca.

Merlot Cuvée Alexandre 2006 (R$96,58)

Um dos melhores merlot chilenos que já provei. O Cuvée Alexandre Merlot 2006 é obtido de vinhas velhas (+60 anos), não irrigadas, do vinhedo de Apalta. Esse rótulo ainda leva 15% de Carmenère, o que dá um toque todo especial, e passa 8 meses em carvalho francês. Cor rubi e reflexos violáceos que denunciam toda a sua juventude. Bouquet generoso e rico em frutas maduras como ameixas e cassis, em perfeita harmonia com notas de baunilha provenientes do carvalho. Na boca consegue aliar a concentração, mas sem deixar de lado a elegância. Taninos presentes e finos, num final delicioso e persistente. Como pudemos comprovar na degustação do Merlot 2000, a evolução foi excepcional, e só melhorou o vinho. Vale a pena guardar na adega algumas garrafas do Cuvée Alexandre 2006, os resultados com certeza irão agradar.

Cabernet Sauvignon Cuvée Alexandre 2007 (R$ 96,58)

Toda a tipicidade de um grande Cabernet Sauvignon chileno. Assim como o anterior o Cuvée Alexandre Cabernet Sauvignon 2007 é obtido a partir de vinhas velhas, sem irrigação, com 15% de Merlot e estagio de 10 meses em barricas de carvalho francês. Nariz muito perfumado destacando notas de cerejas, cassis, café e chocolate. Na boca é vigoroso, taninos ainda de juventude e de ótima qualidade. A untuosidade e o calor do álcool acompanhados de uma perfeita acidez deixam o vinho deliciosamente saboroso.

Clos Apalta 1999

O Clos Apalta é um capitulo a parte, o carro chefe da vinícola faz por merecer todos os elogios que recebe. Aqui a mão francesa aparece com clareza. Degustamos o 1999 ao lado do 2006 e ficamos impressionados com a exuberância desses vinhos. O Clos Apalta 1999 é um corte de Carménère (35%), Merlot (30%), Cabernet Sauvignon (22%) e Malbec (13%) com estágio de 21 meses em barricas novas de carvalho francês. Todo Clos Apalta é feito de modo muito cuidadoso, desde maturação perfeita de variedades como a Carmenère, a seleção manual dos cachos até o assemblage final, executado sempre por Michel Rolland. Na percepção visual uma bela cor rubi, com poucos sinais de evolução. O Bouquet estava fantástico, muito intenso e complexo, frutas maduras como cassis, ameixas e cacau; mescladas com notas florais e de couro, que já exprimem uma certa maturidade. A estrutura densa desse vinho preenche a boca. Taninos aveludados e um final muito longo deixam o vinho em perfeita harmonia na boca, pura elegância! Excepcional para se beber hoje, mas que ainda pode aguentar mais alguns anos.

Clos Apalta 2006 (R$396)

O Clos Apalta 2006 foi obtido exclusivamente com uvas dos vinhedos de Apalta e vinificado na própria Clos Apalta Winery. Para essa safra foi utilizado 43% Carmenère, 30% Merlot, 21% Cabernet Sauvignon e 6% Petit Verdot com estágio de 21 meses em barricas novas de carvalho francês. Cor púrpura e rico em matéria corante, o que denuncia sua juventude, o Clos Apalta 2006 mostrou um perfumado bouquet. Rico em frutos maduros como ameixas, cerejas, cassis e café, combinados com um delicado toque especiado, algo como pimenta branca. Muito concentrado, com taninos ainda ligeiramente ásperos e uma ótima acidez. Final caloroso, muito longo e cheio de fruta, um convite para beber outras taças. Fácil de ser apreciado em sua juventude o Clos Apalta 2006 alcançará um equilíbrio entre a potência e elegância com mais alguns anos de adega.

Importadora: Mistral

Visitas:

A Casa Lapostolle fica na região de Colchagua a 200km ao sul de Santiago. Para chegar lá saia de Santiago pela Ruta 5 sentido sul até chegar em San Fernando. Depois pegue uma saída até Santa Cruz e, antes de entrar nessa cidade, vire a direita na estrada que indica para Apalta. Mais uns 5km você irá avistar a entrada da Casa Lapostolle.

Veja o mapa da região

É possível organizar visitas à vinícola, incluindo degustação, a partir de $20.000 (R$75). Se a ideia for almoçar na vinícola é bom reservar com antecedência, um almoço acompanhado pelos vinhos Cuvée Alexandre pode custar $40.000 (R$147). Já para um almoço harmonizado com um Clos Apalta prepare-se para desembolsar $60.000 (R$220). A nova estrutura na Clos Apalta Winery dispõe ainda de um residência para recepção de hospedes e charmosas “casitas” para quem quiser desfrutar de uma experiência completa no vale de Apalta. Prepare-se com agasalhos, porque as noites e manhãs são bem frias.

* * *

Este post faz parte da série On the Road 2009. Clique aqui |+| para ler mais artigos sobre o Chile e a Argentina. Clique aqui |+| para ler sobre outras viagens dos editores.

  • Pingback: Receita: Rabada com Polenta Cremosa | QVinho

  • Mauro

    Ola,
    Vou ao Chile em Janeio….alguma dica onde encontro um Alma Viva ha preco interessante ?

    Obrigado

  • Pingback: Casa Silva Micro Terroir Los Lingues Carmenere 2006 | QVinho

  • Carlos Mauricio de Andrade

    Estive na Casa Lapostolle no dia 04/10/11.
    Foi uma experiencia enogastronomica unica.
    Os cuvee Alexander, e os excepcionais Clos Apalta e Borobo, são uma sensação à parte.

  • Marcia

    Bom dia! Estou planejando uma viagem para Santiago e gostaria de conhecer algumas vinícolas. Queria saber se a Casa Lapostolle fica perto da Viña Montes. Obrigada!

  • sirlei

    Olá por gentileza quero comprar o vinho clos apalta safra 2005 e não estou encontrando, poderá ser para entrega via transportadora, se souberam onde encontrar por favor me avisem.

  • Pingback: Vinícola Casa Lapostolle | Nós no Mundo

  • dri

    olá
    o que acha do reservado tannat urugaio -safra 2006 da familia pizzorno?
    dele surgiu essa necessidade de compreender de onde ele vem tal a forçca do seu paladar…

    abçcs
    dri

  • danielle

    Gostaria de reservar visita a casa lapostolle mas não sei como. Vc tem o contato?
    abs

  • Rafaela

    Ok Jackson!
    É um vinho de ótimo custo benefício!
    Abs

  • Rafaela

    Jackson, excelente post!
    Vou ser mais modesta, vou falar do Santa Alvara Merlot.
    Vinho ótimo da Casa Lapostolle com ótimo preço.

    Que pensa sobre ele?

    Quem não conhece, achei um vídeo bem legal sobre ele:
    http://www.youtube.com/watch?v=ZXJtkOPh1xQ&feature=channel

    • http://www.qvinho.com.br Jackson

      Olá Rafaela,

      Ainda não provei o Santa Alvara Merlot, mas obrigado pela dica, prometo que vou procurá-lo. Quando eu tiver uma opinião solto uma tuitada, ok?

      Abraço

  • Marcelo

    Parabéns, pelo trabalho que realizam junto a estes vinicultores, simplesmente espetacular, o que vi mesta entrevista é o que gostaria de ter visto em loco, parabéns…… Quanto ao lapostolle simplesmente o melhor custo beneficio, tanto nos cabernet quanto nos carmenere. Continuem a nos apresentar estes “roads”. Espetacular.

    • http://www.qvinho.com.br Jackson

      Marcelo, muito obrigado! Fico feliz que você tenha gostado do Qvinho on the Road. Para 2010 teremos novidades, já estamos pensando num novo tour. Desta vez com captações de vídeo e áudio mais profissionais, tenho certeza que ficará ainda mais prazeroso assistir os próximos vídeos do On the Road.

      Acompanhe também as próximas publicações que teremos com vinícolas chilenas e argentinas.

      Abração

  • Pingback: Viña Amayna

  • http://closapalta95 vicente pollano junior

    VOCE REALMENTE SABE LEVAR A VIDA, FELIZ DO HOMEM QUE PODE TER A FELICIDADE DE CONHECER TAMANHO PARAISO DESSE. COM RELAÇÃO AO CLOS APALTA 95, QUE NO MEU VER, É O MELHOR DA VINICULA, VOCE NÃO DEU O PREÇO NO BRASIL. DEPOIS QUE O VINHO FOI PREMIADO A GARRAFA PASSOU DE R$ 350,00 PARA R$ 690,00 AQUI EM CURITIBA. É MOLE RSSS…..
    MAIS VAMOS BEBE-LO, NEM QUE SEJA FIADO RSSS…..
    ABRAÇOS
    DON VINCENZO
    CAPPO DE TUTI CAPPO

  • CARLOS ALBERTO MACEDO

    POSSUO 03 GARRAFAS DO CLOS APALTA 2005 (1º DA WS 2008).
    POR QUANTO POSSO VENDER CADA UMA?
    CARLOS ALBERTO.

  • Mauricio Fernandes

    O Clos Apalta é extraordinário, junto com o Almaviva, são os melhores vinhos que tive o privilégio de tomar, o Cuvée Alexandre é ótimo e tem bom potencial de evolução na garrafa. Parabéns pela nova vinícola do Clos Apalta, é uma obra de arte.

  • Rodrigo Almeida

    Gostaria de parbenizá-los pelo blog!!!

    Jackson, estes preços saõ das distribudoras no Brasil certo???

    Como são os preços nas vinícolas???

    Irei no vale em janeiro….

    Abraço,

    Rodrigo Almeida.

    • http://www.qvinho.com.br Jackson

      Isso mesmo Rodrigo, os preços que relacionamos são para o mercado brasileiro segundo sugestão da importadora. Na vinícola você vai encontrar preços bem mais baixos. Não me recordo de todos os valores, mas é algo como 13.000 pesos por uma garrafa de Cuvée Alexandre (R$45).

      Aproveite bem as dicas e boa viagem!

  • Priscila

    Gostei do novo “look” to QVinho! e agora QVinho TV!!!! Parabens!
    Grande abraco a todos-
    Priscila

    • http://www.qvinho.com.br Jackson

      Olá Priscila! Valeu pelos elogios, na verdade sempre estamos pensando como melhorar alguma coisa no blog. Esse novo layout e o QVinho TV tem agradado muito os leitores, acho que estamos num bom caminho. Grande abraço

  • Durval

    Parabéns pelo blog. Neste fim de semana provei o Merlot 2006, Rapel Valley, Casa Lapostolle, e achei muito bom. Equilibrado e taninos macios.

    • http://www.qvinho.com.br Jackson

      Obrigado Durval! Também gosto muito da linha Casa, tanto os tintos como o Sauvignon Blanc. São vinhos que vão muito bem com a comida e não são muito caros.

  • João B H De Almeida

    Parabens pela descritiva dos vinho da Casa Lapostolle; são sem qualquer duvida de excelente qualidade, os Alexander, excelentes e o CLOS APALTA DIVINOS

  • http://www.pritoledo.com Priscilla

    Olá sou apreciadora de vinhos e gostei muito do seu blog e sua visão do vinho, podemos trocar idéias. Também sou fotógrafa http://www.malapi.com ou http://www.flickr.com/photos/malapifotografia/

    Sempre penso que O Vinho faz bem ao coração e ao paladar ;)
    Sou fã de um bom Lambrusco, mas admito ter uma carta de vinhos variada. Visite meu blog.
    abraço

  • Mario

    Adoro o chardonnay da Casa Lapostole! Ainda não pude provar o Clos Apalta, mas deve ser um senhor vinho.