Champagne Deutz quer conquistar ainda mais brasileiros

Não é todo dia que podemos degustar champagnes tão especiais quanto os que tive a oportunidade de provar na semana passada durante a apresentação dos últimos lançamentos da Casa Deutz. O evento realizado em Curitiba, no Restaurante Durski, contou com a presença de Fabrice Rosset, presidente da Deutz, e de Philippe Rivet, diretor de exportações. A degustação dirigida à jornalistas e especialistas – também realizada em São Paulo e Rio de Janeiro – foi promovida pelas importadoras Porto a Porto / Casa Flora e integra a estratégia da Deutz para ampliar a participação da marca no mercado brasileiro. Atualmente a Deutz possui muito prestígio e reconhecimento junto à conhecedores, graças a sua excelente relação qualidade/preço, contudo Fabrice tem metas agressivas para aumentar as exportações da Casa, e os novos consumidores brasileiros devem contribuir para esse cenário.

Fundada em 1838, a casa Deutz já passou por cinco gerações de uma família até ser adquirida pelo Grupo Louis Roederer. A tradição da Deutz é longa, mas foi ao final do século 19 que a Maison consolidou a sua reputação, que só melhorou depois do Grupo Roederer assumir em 1983. Localizada no histórico vilarejo de Aÿ, a pouco mais de 3km de Epernay, numa das mais nobres localizações da região de Champagne, a Deutz dispõe atualmente de 42 ha próprios, além de contratos de longo prazo com viticultores locais para totalizar mais de 190 ha.

A frente da operação, desde 1996, e com uma passagem de 20 anos pela Cristal – marca que também pertence ao Grupo Roederer – está o experiente e carismático Fabrice Rosset. E numa aposta contrária ao que muitos marqueteiros preconizavam (focar em apenas um rótulo), Rosset adotou uma estratégia de portfólio mais ampla, orientada pela qualidade e diversidade de estilos. Alguns pilares dessa estratégia são facilmente percebidos, basta verificar a gama de vinhos de primeira prensagem (Cuvée) produzidos. Até mesmo em seu Champanhe “básico”, o Brut Classic, é utilizado até 40% de vinhos Reserva, com o emprego de uma boa quantidade de uvas de vinhedos Grand Cru; além de não distribuírem os champanhes com menos de 3 anos de envelhecimento, ou seja, bem acima do que a legislação estabelece para essa categoria de produto.

Para um connoisseiur ou simples apreciadores, os Champagnes produzidos pela Deutz oferecem riqueza de aromas e complexidade, além de um caráter incomparável como é o caso dos rótulos da linha Cuvée William Deutz.

Deutz Brut Classic – R$190

O rótulo de entrada da Deutz, um brut não-safrado, é um belo exemplo da qualidade e consistência dos Champagnes da Deutz. O Brut Classic é feito de um corte de proporções idênticas de Pinot Noir, Chardonnay e Pinot Meunier provenientes de terroirs selecionados, com 30 meses de descanso nas borras. Ótimo perlage, fino e persistente. Aroma muito agradável, frutado e fresco, com notas de caramelo e sutil toque de fermento. A impressão na boca é ainda melhor que no nariz, com cremosidade e um final delicioso.

Deutz Rosé 2005 – R$250

Produzida exclusivamente com uvas Pinot Noir da região de Montagne de Reims (80%) e Vallée de Marne (20%); o Rosé 2005 leva ainda durante o processo de assemblage 9% de vinho tinto proveniente de vinhas velhas de Côte d´Aÿ. Essa mistura dá ao produto final mais complexidade e fineza, sem falar nos 4 anos de maturação em contato com as leveduras. Bela cor salmão, perlage muito fino e consistente. Bouquet intenso frutado, em destaque aromas de morangos, cerejas e framboesas; e um fundo levemente tostado. Na boca tem boa presença, muita fineza e frescor dado por sua acidez. Um Champagne com ótimo potencial gastronômico, perfeito para acompanhar peixes como salmão, queijos frescos, pato e pratos com temperos asiáticos.

Cuvée William Deutz Rosé Miléssimé 1999 – R$490

Excepcional champanhe rosé, com uma produção limitada de 10 mil garrafas. O William Deutz Rosé Miléssimé 1999 é confeccionado apenas com uvas de vinhedos Grand Cru e Premier Cru, numa composição de 75% Pinot Noir e 25% Chardonnay que proporciona um toque a mais de elegância. O nariz é delicado, mas revela profundidade e complexidade. Os aromas reúnem características de maturidade, e juventude, tendo em vista a vivacidade dos frutos vermelhos. A boca exprime um agradável fundo mineral, numa composição acertada entre a estrutura, frescor e álcool. Um Rosé Miléssimé delicioso, ideal para um aperitivo ou para acompanhar um sashimi.

Amour de Deutz Blanc de Blanc Miléssimé 1999 – R$650

Se os rótulos anteriores estavam excelentes, o que dizer do Amour de Deutz Miléssimé 1999?! Simplesmente outstanding, um produto de acabamento impecável. Aqui, justiça seja feita, os louros são de Fabrice. Antes mesmo de estar na presidência da Deutz, Rosset ficou encantado com a qualidade de uma das safras de Chardonnay da Casa, e adivinhem o que ele fez quando assumiu a operação? Lançou acertadamente esse Blanc de Blanc, ou seja, um Champagne feito exclusivamente com uvas Chardonnay. O rótulo, elaborado apenas em safras excepcionais, é obtido a partir de um assemblage com uvas dos melhores terroir, garantindo assim muita complexidade e fineza. As uvas do Grand Cru de Avize (30%) ajudam na fineza; ao passo que mineralidade é obtida com as uvas de Le Mesnil Sur Oger (60%); e para arredondar, uvas de Villers Marmery (5%). Nariz exuberante e complexo, evocando aromas de maturidade como notas avelãs, pão torrado e fava de baunilha, perfeitamente harmonizados com um perfume floral e cítrico. A boca é rica e refinada, com um final harmonioso e persistente, digno de um Champagne dessa categoria.

  • Júlio Régnier Menegale

    Acabo de ter o prazer de degustar um Deutz Brut Classic . MARAVILHOSO!
    De “perlage” fantásticamente persistente! Na boca é uma explosão de complexidade deliciosa! Parabéns.

    • Ana Maria

      Nota-se que o Sr é um profundo conhecedor
      Que tal me convidar para degustar um Deutz comigo?

  • Pingback: Vosso blog de comida » Deutz - Bem Paraná

  • Dirce

    Muito prazer em ver…não posso adquirir, infelizmente, pois faço parte da maioria de brasileiros que não tem acesso ao consumo de coisas tão boas e de custo financeiro tão elevado.

    Em todo caso, estou tentando me comunicar com voces, porque pode ser que queiram me vender vinhos bons e de preços mais acessiveis.

    grata, Dirce

  • Pingback: Champagne Deutz no site QVinho | Casa Flora - Importadora de Produtos Alimentícios e Bebidas Finas – Vinhos

  • Thiago Torres

    Incrível como todos os vinhos da Deutz são maravilhosos… desde o Classic, “básico” até o Amour de Deutz….. Se pudesse seria meu espumante de todas as melhores ocasiões. Parabéns!