Champanhe Delamotte

Maison Delamotte em Mesnil-sur-Oger

Maison Delamotte em Mesnil-sur-Oger

Em post anterior esbocei as minhas andanças por Epernay em busca dos melhores champanhes, agora chegou a hora de apresentar a Delamotte. A maison Delamotte foi fundada em 1760, sendo a quinta mais antiga da região, além disso, atualmente opera germinada a mítica Salon  (ambas pertencem ao grupo Laurent-Perrier). Apesar do currículo impecável, a Delamotte é uma marca obscura, conhecida quase que exclusivamente em círculos de connoisseurs. A razão disso é a produção restrita, limitada a 50 mil caixas ano, geralmente vendida a clientes seletos, tendo o Japão como principal mercado. O crítico Robert Parker Jr. considera está maison uma das melhores no quesito relação qualidade / preço,  mas não somente ele, na região de Champagne esta maison é muito bem conceituada.

Salon-Delamotte

Salon-Delamotte

A Delamotte é uma maison de alto nível, trabalha apenas com uvas de vinhedos Grand Cru, principalmente de Mesnil-sur-Oger (onde está situada), embora também compre chardonnay de produtores em Avize e Oger, já a pinot noir é obtida em Bouzy, Ambonnay e Tours-sur-Marne. Para aqueles não familiarizados com as AOC´s de Champagne, vale dizer que estas localidades estão entre as melhores da região. A filosofia de trabalho da Delamotte é simples: fazer o melhor vinho usando a melhor matéria prima. Apenas 10 pessoas participam de todo o ciclo de produção, por isso o controle de qualidade é grande, garantindo a reputação das champanhes Delamotte. O estilo da casa é elegante, obviamente focado em expressar a chardonnay de Mesnil-sur-Oger, empregando dosagens mínimas de açúcar e zero de carvalho.

Degustação na Champanhe Delamotte

Degustação na Champanhe Delamotte

Delamotte Brut – R$178

O vinho básico da Delamotte é um Brut de 50% chadonnay, 30% pinot noir e 20% pinot meunier. Este champanhe é muito agradável e bem feito, ao nariz avelãs e pêssegos aparecem em destaque, delicadas notas cítricas sobre um fundo mineral aportam frescor. Na boca é cremoso e refrescante, como todo Brut deveria ser.

Delamotte Blanc de Blancs

A especialidade da casa são os blanc de blancs, portanto o que podemos esperar desse vinho? Prazer! É um belo champanhe, fresco e amável, com aromas intensos de frutas brancas e flores, mas o que seduz mesmo são as notas de patisserie reforçadas pelo frescor mineral. Delicioso!

Delamotte Blanc de Blancs Vintage 2002

O blanc de Blancs “básico” da Delamotte já é excelente, porém o vintage está um degrau acima, uma vez que passa mais tempo sur lies e possui uma maturação mais longa. Delicioso em todos os sentidos, aqui os aromas de patisserie são mais finos e complexos, com um belo frescor mineral. Cremoso, longo e sedutor.

Delamotte Brut Rosé – R$335

Depois de provar os maravilhosos blanc de blancs, confesso que o Rosé ficou prejudicado, ainda mais que não sou um grande fã desse estilo de champanhe. Justiça seja feita, o Delamotte Rosé tem muita qualidade, e não poderia ser diferente, haja vista a excelente fonte de uvas para este vinho: Ambonnay, Bouzy e Tours-sur-Marne para os 80% de pinot nonir e Mesnil-sur-Oger para os 30% de chardonnay. É um Rosé intenso e perfumado, com muita fruta vermelha e certas notas de caramelo e especiarias. É encorpado, seco e muito harmonioso, sem dúvida um belo rosé.

* Os vinhos da Delamotte são importados pela World Wine.