Champanhes da Casa Deutz

Confesso que degustar champanhe não é uma tarefa fácil, não que exija algum “aparato” especial, mas sim pelo glamour dessa denominação francesa. É necessário um certo espírito prático, assim é mais fácil avaliar o vinho, deixando de lado valores esnobes associadas a essa bebida. Foi com esse espírito que participei de uma prova do champanhe da casa Deutz, comandada pelo seu presidente Fabrice B. Rosset. O evento aconteceu 29/04/2009 em Curitiba e foi promovido pela importadora Porto a Porto.

A casa Deutz foi fundada em 1838, passou pelas mãos de cinco gerações de uma família até ser adquirida pelo grupo Louis Roederer. A tradição da Deutz é longa, mas foi ao final do século 19 que a casa consolidou a sua reputação, que só melhorou depois do grupo Roederer assumir em 1983.

Está situada no histórico vilarejo de Aÿ, a pouco mais de 3km de Epernay, numa das mais nobres localizações da região de Champagne. A Deutz dispõem atualmente de 42 ha próprios, além de contratos de longo prazo com viticultores locais para totalizar mais de 190 ha. A marca Deutz ainda não é muito conhecida entre os apreciadores eventuais de champanhe, mesmo assim tem muito prestígio entre os conhecedores. Existem boas razões para isso: a Deutz só faz vinho de primeira prensagem (Cuvée); usa até 40% de vinhos Reserva em seu champanhe básico, além de empregar uma boa quantidade de uvas de vinhedos grand cru; não distribuem os champanhes com menos de 3 anos de envelhecimento; não usam madeira, apenas cubas de inox.

Os champanhes produzidos pela Deutz são distintos, cheios de personalidade e irresistíveis.

Deutz Brut Classic – R$195

O champanhe mais básico da Deutz, embora a palavra “básico” soe completamente inapropriada para esse vinho. Ótimo perlage, fino e consistente. Aroma muito agradável, frutado e fresco, com notas de caramelo e sutil toque de fermento. A impressão na boca é ainda melhor que no nariz, com cremosidade e um final delicioso. O Deutz Brut Classic é feito de um corte de proporções idênticas de Pinot Noir, Chardonnay e Pinot Meunier, com 30 meses de descanso nas borras.

Deutz Rose – R$300

Esse champanhe é incrível, uma ótima companhia a mesa, pode acompanhar diversos tipos de prato. Bela cor salmão com borbulhas muito finas. Aroma complexo, frutas vermelhas e nuances tostadas. Excelente na boca, muita fineza e frescor. Um rosé 100% Pinot Noir.

Deutz Demi-Sec – R$195

Fica fácil entender a superioridade de um bom champanhe quando provamos um demi-sec. A versão demi-sec do champanhe básico da Deutz, mesmo com 35g/l de açúcar residual, é puro frescor. Não possui aquele toque “enjoado” de muitos espumantes demi. A acidez muito elevada dos bons champanhes não deixam o açúcar enjoar.