Masi Campofiorin 2003 Vs. Masi Tupungato Passo Doble 2005

Masi é um grande produtor italiano do Veneto. Seus vinhos costumam receber boas críticas, especialmente seu Amarone Mazzano, um vinho caro e extremamente bem feito. Mas não pára por aqui, pois Masi produz outros vinhos mais acessíveis, como os excelentes Grandarella e Brolo di Campofiorin. A novidade agora é o Passo Doble, o primeiro rótulo Masi Tupungato, a mais nova bodega ítalo-argentina. O Passo Doble é um corte de 65% Malbec, 30% Corvina Veronese e 5% Merlot, produzido com o emprego da técnica de ripasso, típica do Amarone della Valpolicella, que consiste em deixar as uva secarem parcialmente antes de serem vinificadas, permitindo maior concentração de açucares. O nome Passo Doble faz referência a segunda fermentação sofrida por esse vinho, que ocorre quando são adicionadas as uvas de Corvina “passificadas” ao mosto de Malbec, já em processo de fermentação.

Vinho tinto italiano Masi Campofiorin e Masi Tupungato Passo Doble Corvina Veronese Malbec

O Campofiorin apresentou cor grená vívida com transparência. Aromas de boa intensidade de pelica, ameixa seca e acetona, revelando razoável complexidade. Na boca é leve, mas equilibrado, com taninos macios e acidez moderada. Não fugindo da proposta de ser um vinho acessível e fácil de beber, mostrou um final de boca seco e agradável de média persistência.

Muito Bom
O Campofiorin mostra o potencial dos vinhos do veneto, mas por um preço bem mais atraente que seu irmão mais velho, o Amarone. Vinho de grande versatilidade na cozinha.
Preço: R$ 68,40
Grad. Alcoólica: 13%
Importadora: Mistral

O Passo Doble é rubi, mas sem a profundidade de outros vinhos de Malbec, mostrando certa transparência. Aromas sedutores de confeitaria, lembrando torta de frutas do bosque, baunilha e coco, uma evidência da sua maturação em barricas (9 meses em carvalho francês). Corpo médio, com taninos sedosos e pouca acidez, bem equilibrado e muito macio. Final de boca vinoso e agradável, com boa persistência.

Muito Bom
Um vinho diferente, já que não apresenta a cor violeta escura e nem a frutuosidade típica da Malbec, mas deve agradar quem gosta de vinhos modernos.
Preço: R$ 44
Grad. Alcoólica: 13,5%
Importadora: Mistral

O Campofiorin e o Passo Doble, apesar da pretensa similaridade de produção, são vinhos bem diferentes. O Campofirin apresenta uma textura mineral, mais seca e ácida, sem traços de carvalho, enquanto o Passo Doble é mais moderno, vinho de winemaker, mostrando maciez e notas de carvalho novo.

  • Eloise

    Provei os dois vinhos, porém prefiro o Passo Doble por ser um vinho mais moderno e por apresentar aromas marcantes de baunilha, frutas,lembrando iogurte e manjar… aromas de minha preferência é claro!