Os vinhos da Camigliano

Semana passada participei de uma rápida apresentação dos vinhos da Camigliano, uma vinícola toscana situada no paesino de mesmo nome na região demarcada do Brunello di Montalcino. Paola Falabretti, relações públicas da Camigliano, comandou a degustação ocorrida em Curitiba no Centro Europeu. É sempre uma alegria participar de uma degustação de vinhos toscanos, afinal esta região italiana é berço de alguns grandes vinhos e possui muita tradição vinícola. Como nos tempos atuais não dá para confiar apenas em tradição, é bom ficar esperto, principalmente ao comprar vinhos de regiões famosas, caso de Chianti e Montalcino. Existem muitos produtores nessas regiões, a grande maioria deles interessados apenas em lucrar vendendo vinhos diluídos e inexpressivos. Agora, justiça seja feita, os bons produtores precisam ganhar espaço, por isso é bom procurar por nomes como Camigliano.

Sim, Camigliano vem de camelo, mas não existem camelos na Toscana, na realidade o nome dessa pequena vila é herança dos tempos dos romanos, que tinham o costume de importar animais selvagens da África para levar para seus domínios em continente europeu. A vinícola Camigliano possui propriedades que somam 530 ha, sendo 90 ha de vinhedos cultivados. As instalações da Camigliano são modernas, com pipas de carvalhos da Eslovênia, cubas de inox e sistema de trasfega por gravidade; tudo construído no subterrâneo para preservar a bela paisagem de Montalcino. A Camigliano produz uma linha bem completa de vinhos, dos mais básicos, perfeitos para acompanhar comida, até o top da vinícola, um Brunello di Montalcino Riserva que impressiona. O Chianti da Camigliano é um Colli Senesi (R$45), isto é, feito com uvas plantadas na região demarcada de Chianti nos arredores da cidade medieval de Siena. Bem feito, agradável e com ótima acidez, mas como muitos Chianti, não é propriamente frutado e marcante. Já o Poderuccio 2007 (R$62) é um “mini toscano”, como gostam de designar na própria Camigliano, uma vez que faz uso de castas francesas e não se enquadra dentro das normas das DOC’s da região, porém seria demasiado pretensioso chama-lo de super toscano. O Poderuccio é um corte de Sangiovese, Cabernet Sauvignon e Merlot com uma curta passagem em barricas de carvalho; mais macio e redondo que o Chianti, embora sem perder a identidade. O Rosso di Montalcino 2007 (R$67) é uma boa opção para quem quer conhecer o estilo de Montalcino, mas sem gastar muito. Exibiu uma cor rubi com boa concentração, aromas balsâmicos e de frutas vermelhas do bosque. Ótimo na boca, bem equilibrado e com aquela pegada de acidez que é marca registrada da Sangiovese. O Brunello di Montalcino 2003 (R$171), como não poderia deixar de ser, mostrou ótima concentração e força. Nariz com boa complexidade, remetendo a frutas vermelhas maduras, couro, minerais e cedro. Encorpado e jovial, mas com taninos de excelente qualidade que não incomodam. Por último ficou o Brunello di Montalcino Gualto Riserva 2003 (R$255), um belo riserva, estruturado e elegante. Aroma de frutas vermelhas bem maduras, minerais, notas florais e de caixa de charuto. Encorpado e denso, sem perder o frescor. Final longo e sedutor.

A Camigliano provou ser boa de preço, afinal o seu Rosso di Montalcino custa menos que alguns Chianti. Uma pena não terem servido nenhum vinho da excelente safra 2004, mas fica aqui a sugestão para quem quiser provar esses vinhos.

Os vinhos da Camigliano são importados pela Porto a Porto / Casa Flora

  • Carlos Rosa

    Caro Jomar,
    Sempre me oriento por dicas do Blog e estas costumam ser ótimas. Mas em relação ao Brunello di Montalcino não fomos felizes!! Compramos esse Brunello da Camigliano para degustar com os amigos, seguindo a dica deste post, e o vinho decepcionou!! Não apresentou nada do que esperávamos. Um vinho com pouca expressão, apresentando aromas pouco notórios de pimenta e tabaco (mesmo depois de 2 horas no decanter) e que não agradou na boca exatamente por sua pouca concentração e quase nenhuma potência! Um vinho que não vale o que custa!!!
    Melhor sorte da próxima vez!! Abraços!!

  • Camila

    Estou planejando uma viagem para a Itália em Outubro e gostaria de perguntar se vcs tem alguma sugestão de enoturismo? Rotas de vinícolas como vcs fizeram pela região de Mendoza (que me foram muito útil em minha viagem para Mendoza!!!TKS), por acaso existe para a Itália??
    Obrigada e parabéns pelo site :)

  • Pingback: Desgustação de vinhos Camigliano | Porto a Porto

  • Pingback: Degustação dos vinhos da Cantina Camigliano | Casa Flora - Importadora de Produtos Alimentícios e Bebidas Finas – Vinhos

  • ELMO

    Jomar, muito bem relatada a prova, e realmente os preços da Camigliano não me pareceram pretensiosos. O Poderuccio é um vinho gostoso, mas não achei uma boa relação custo-benefício. Faltou o Cabernet Sauvignon “varietal” deles, que é mimado pela vinícola de acordo com a Paola. Não me lembro disso ter sido discutido aqui, e talvez tenha sido, mas lhe pergunto: vcs não avaliam os vinhos e opinam os graduando? (PS: como aconteceu com o Jackson, mandei o e-mail com a crônica e não obtive resposta).

    • http://www.qvinho.com.br Jomar

      Caro Elmo, realmente não “classificamos” os vinhos provados em eventos, feiras, jantares e situações semelhantes. A nossa classificação só é aplicada para os vinhos provados em casa, garrafa inteira, com paciência, aproveitando cada gota. Essa questão está relatada na página Sobre:

      http://www.qvinho.com.br/sobre-blog/criterios-de-degustacao/

      Recebi o seu email, e em breve irei respondê-lo.

      Abraço!